Depois do Facebook, mais uma empresa inesperadamente desenvolverá séries originais. A Apple estrear-se-à com um drama ainda sem título.

Steve Carell, o ator extremamente versátil da comédia com um valor já estabelecido em obras dramáticas, é o terceiro nome (de peso, por sinal) a juntar-se ao projeto televisivo encabeçado pela dupla americana Jennifer Aniston e Reese Witherspoon, que trabalharam juntas em “Friends” e serão igualmente produtoras executivas. Este será o primeiro papel de grande destaque do americano na televisão desde “O Escritório”, da NBC.

Publicidade
Steve Carell
Steve Carell na pele de Michael Scott, em “O Escritório” (2005-2013)
Vê também: Sorry for Your Loss – o Facebook sabe fazer séries (1ª temporada)

A referida série em preparação será um retrato interior da vida de diversas pessoas que “ajudam a América a acordar de manhã”, explorando os desafios únicos enfrentados pelas mulheres e homens que carregam consigo este ritual diário. A série já tem duas temporadas confirmadas, cada uma com dez episódios.

Jennifer Aniston e Reese Witherspoon, mesmo já tendo sido confirmadas no protagonismo em novembro de 2017, não revelaram, contudo, quais serão as respetivas personagens. O que se sabe é que Steve Carell interpretará Mitch Kessler, um âncora dos programas matinais que atravessa um período de dificuldade envolvendo a drástica mudança dos tempos e a perda da relevância.

Steve Carell
Jennifer Aniston e Reese Witherspoon em “Friends” (1994-2004)

A série será escrita por Kerry Ehrin (“Bates Motel”), que será igualmente produtora, juntamente com Michael Ellenberg (“The Leftovers”). A realização está ao cargo da americana Mimi Leder, responsável por 10 dos 28 episódios de “The Leftovers”. A produção será levada a cabo pelos estúdios Media Res, Echo Films e Hello Sunshine. As filmagens deverão começar, posto isto, no próximo dia 29 de outubro. A ideia é alcançar uma data de estreia para a série algures em 2019. A Apple anunciará futuramente ainda outros planos e o nome definitivo do seu breve serviço de streaming.