CinemaDestaquesFEST 201713ª edição do FEST regressa a Espinho

De 19 a 26 de junho, a cidade de Espinho celebrará mais uma vez o cinema independente com o FEST – Novos Realizadores | Novo Cinema. O objetivo do evento será criar um espaço onde cineastas emergentes possam divulgar o seu trabalho, assim como desenvolver os seus conhecimentos e partilhar oportunidades, ao mesmo tempo que chamam novos públicos para o cinema independente. Esta 13ª edição terá a concurso 142 obras cinematográficas, entre as quais curtas-metragens,...
Jun 18, 201713 min

De 19 a 26 de junho, a cidade de Espinho celebrará mais uma vez o cinema independente com o FEST – Novos Realizadores | Novo Cinema.

O objetivo do evento será criar um espaço onde cineastas emergentes possam divulgar o seu trabalho, assim como desenvolver os seus conhecimentos e partilhar oportunidades, ao mesmo tempo que chamam novos públicos para o cinema independente.

Esta 13ª edição terá a concurso 142 obras cinematográficas, entre as quais curtas-metragens, longas e documentários, selecionados de um leque de 3.106 candidatos e distribuídos por cinco categorias. Este ano, o tema escolhido tem como nome “Stop Agression, Stop Opression, Stop Regression”, e o filme de abertura do festival, “Tom of Finland” enquadra-se no assunto do FEST. O filme retrata a vida de Touko Valio Laaksonen, artista finlandês celebrizado pelas suas ilustrações eróticas da homossexualidade masculina, tornando-se numa figura importante da arte do século XX.

Em relação às secções competitivas, o FEST apresenta uma miríade de filmes para todos os gostos e idades. O Lince de Ouro tem como objetivo apresentar uma série de primeiras e segundas obras de realizadores nacionais e internacionais, que irão divulgar as suas longas nos géneros de ficção e documentário. Em lista estão produções como “8:30” de Laura Nasmyth, da Austria, “As You Are”, de Miles Joris-Peyrafitte, dos Estados-Unidos e “Filthy”, de Tereza Nvotová, da República Checa.

Por sua vez, o Lince de Prata apresenta curtas nacionais e internacionais criadas por realizadores até aos 30 anos. Nesta secção competitiva estão incluídas obras não só de ficção e documentário, mas também de animação e cinema experimental. Em lista estão filmes como “Voyeur”, de Pedro Florêncio, de Portugal, “Seven Minutes”, de Assaf Machnes, de Israel, “Framed”, de Marco Jemolo, da Itália e “It Is My Fault, de Liu Sha, da China.

O NEXXT foca-se nas mentes mais frescas e jovens do cinema mundial, juntando produções de jovens aspirantes a realizadores que ainda se encontram em formação. A lista é vasta e conta com produções como “A will that never ends”, de João Belém, da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes, “Pyre for Hire”, de Daniel Tempel-Merzougui, da Universidade de Middlesex, no Reino Unido, e “Cassette Boy”, de Matthew Campbell, da Universidade de Portsmouth, na Inglaterra.

Até mesmo as crianças têm o seu lugar neste evento. O FESTinha é uma secção pensada para o público mais jovem, dividida por faixas etérias e com diversas atividades educativas, incluindo debates sobre os filmes exibidos e prémios atribuídos pelo público e Jurí Teen. Entre a vasta lista estão curtas como “Sweet Bite”, de Miguel Bettencourt, de Portugal, “Jonas and the Sea“, de Marlies van der Wel, da Holanda, e “The Stunt Manual”, de Ben Férnandez, de Espanha.

Por fim, a quinta e última secção competitiva é o Grande Prémio Nacional, que apresenta um conjunto de propostas de jovens realizadores portugueses no campo das curtas metragens. A lista, mais reduzida que as anteriores, comporta produções como “Ascenção”, de Pedro Peralta“Balada de um Batráquio”, de Leonor Teles, e “Susana”, de João Eça.

Mas o festival não será somente competitivo. A secção Flavours of the World é dedicada às filmografias de diferentes países, com o objetivo de permitir ao público descobrir novos horizontes através do cinema. Este ano, a Grécia e o Irão são os países selecionados, e entre a lista de produções há curtas como “Birthday”, de Dimitris Katsimiris, e “Autumn Leaves”.

Também outras secções não tão vastas irão deixar a sua marca no festival. O Be Kind Rewind é uma secção dedicada a um determinado tema. Este ano, o projeto terá como nome “Off the Wall Expanded: Across the Line”, reunindo histórias de uma nova geração de realizadores sobre a Europa. Apenas três longas serão exibidas: “Caina”, de Stefano Amatucci“Park”, de Sofia Exarchou, e “The Invisible Hand”, de David Macián.

Em parceria com o Espinho Surf Destination, o FEST Surf tem como objetivo apresentar uma seleção de filmes sobre a cultura do surf, abordando não só a modalidade como também a cultura a ela associada. Serão apresentadas curtas que vão desde os 3 aos 45 minutos e estarão em exibição na Praia de Espinho, à margem do Pro Junior Europe.

Para além deste festival, duas importantes atividades estarão a decorrer ao mesmo tempo. O FEST – Training Gound é uma secção educativa com mais de 30 atividades, que envolvem workshopsmasterclasses, palestras e debates orientados por peritos reconhecidos internacionalmente. Alguns dos convidados incluem Ed Lachman (diretor de fotografia norte-americano cuja carreira inclui os filmes “As Virgens Suicídas”“Erin Brockovitch”“Carol”), Allan Starski (designer de produção polaco que trabalhou na direção de arte de filmes como “O Pianista”“A Lista de Schindler”) Brian Muir (escultor britânico que em 1976 concebeu a máscara de Darth Vader para o filme “Star Wars” e entretanto criou outros elementos decisivos para sagas como as de “Alien” e “Harry Potter”) e Melissa Leo (atriz galardoada com um Óscar).

Por sua vez, o FEST – Pitching Forum é uma plataforma que permite aos novos cineastas apresentar os seus projetos a produtores, financiadores, gestores de fundos e investidores de topo. Esta atividade está dividida nas secções de Longa Metragem, Curta Metragem e Documentário e cada participante exporá os seus projetos a um painel de experts, que será composto por profissionais experientes com um grande historial de produção e distribuição.

Serão oito dias em que o cinema independente estará em celebração em Espinho, e onde cineastas de todas as idades estarão em competição ou somente a mostrar as suas obras ao público. Serão centenas de produções, curtas, longas, documentários e animações sobre os mais variados temas e géneros, desde as produções amadoras às mais experimentais e profissionais.

Tiago Costa

Tiago Costa

Estudante de Mestrado na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e redator no Cinema Pla'net desde outubro de 2015. Amante de cinema, séries, animes e videojogos, procura sempre uma oportunidade para conciliar estas quatro paixões e aumentar um pouco mais os seus conhecimentos sobre ficção.