“Can You Keep a Secret?” – Um Segredo Para Esquecer

Alexandra Daddario verá a sua vida a levar um abanão nesta nova comédia romântica “Can You Keep a Secret?” pelas mãos de Elise Duran.

Confesso que estou um pouco no meio no que toca a desfrutar de comédias românticas. Não sou fã incondicional, que devora um filme deste género a cada oportunidade que aparece. Mas gosto quando o filme tenta inovar a fórmula básica e ter personagens interessantes e não convencionais. Ar fresco numa comédia romântica é sempre uma brisa agradável. 

Publicidade

Sou, no entanto, fã de Alexandra Daddario. Não somente pela sua beleza, mas também por reconhecer que existe imenso talento dentro dela. Ela consegue estar à vontade em diferentes tipos de papéis sem nunca se sentir deslocada. 

Logo, por este motivo (e muito inocentemente) decidi dar uma oportunidade a este novo filme da Daddario  “És Capaz de Guardar um Segredo?”.

Neste filme Emma Corrigan (Alexandra Daddario) confessa tudo sobre a sua vida a um estranho quando o vôo onde seguia sofreu alguma turbulência. No dia seguinte, ela descobre que o estranho era, na verdade, o seu patrão Jack Harper (Tyler Hoechlin). A partir desse momento, a sua vida leva o abanão que necessita para ela encontrar a felicidade que tanto procurava. 

Comédias românticas são um dos géneros mais antigos de Hollywood. Para quem se lembra, nos anos 90 e inícios dos 00’s houve um pico de comédias românticas que não tinham qualquer tipo de piada ou sabor único. Era uma amálgama de situações que resultaram noutros casos mas que, naquele contexto, não tinham qualquer chama. 

Pois bem, “És Capaz de Guardar um Segredo?” cai nesta categoria de comédias românticas. 

Esta história, tendo como base o livro Sophie Kinsella, não oferece nada de novo que o espectador não tenha já visto. É a fórmula mais básica deste tipo de filmes, com conflitos tão minúsculos que se tornam ridículos de lhes ser dada tamanha importância. 

As personagens são meras caricaturas. Os nomes são acessórios, porque não existe personalidade. Se fossem denominadas como “o namorado”, “a melhor amiga”, “a amiga irritante”, iria dar ao mesmo. 

A verdade é que os actores esforçam-se para dar algum carisma ao que lhe está a ser dado a fazer. Daddario e Hoechlin até conseguem criar alguma química, porém o argumento não dá espaço para vermos a sua paixão florir. 

É como se a realizadora Elise Duran tivesse um cronômetro a seu lado a apontar a marca de 90 minutos. Ela tem aquele espaço para encafuar tudo o que o argumento tem, sem poder passar nem um segundo do que lhe é permitido. 

Por isso, toda a história é-nos contada a despachar, passando de momento para momento com stock images e e uma composição de retirada dos livros antigos de sitcoms. Bastava ter uma laught-track por trás e isto seria uma temporada de uma série que não voltaria a ser renovada. 

As tentativas de humor de “És Capaz de Guardar um Segredo?” são igualmente forçadas às tentativas de drama. A banda-sonora é recheada de momentos instrumentais demasiado volumosos, que se sobrepõe às falas das personagens. Porque, no fundo, o que eles dizem não é relevante. Conseguimos adivinhar cada frase e cada momento com o filme em mute

O diálogo embaraçoso, o desenrolar da totalmente previsível e facilmente resolvível. Na vida real, as coisas não se desenrolariam da forma como nos é apresentado. Cada decisão feita, cada frase dita, faz com que percamos completamente o sentimento de compaixão para com as personagens.

Apesar das claras tentativas de Daddario e de Hoechlin, não existe qualquer humanização neste “És Capaz de Guardar um Segredo?”. De facto, este filme é um segredo que não quero partilhar com ninguém – nem ao meu pior inimigo.

“És Capaz de Guardar um Segredo?” estreou em Dezembro nos cinemas e vai chegar agora ao VOD.