O IndieLisboa iniciou-se há alguns dias, e este ano celebra o seu 15.º aniversário.

A 15.ª edição do festival português IndieLisboa já começou no dia 26 e o objetivo deste ano passa por “uma grande festa à volta de um cinema permanentemente aberto à descoberta formal, à singularidade autoral e às convulsões do mundo contemporâneo.”.

Ver também: Dolph Lundgren é o primeiro convidado de Cinema e TV na CCPT’18

Quanto à seleção de filmes apresentados, o festival de Lisboa optou por exibir filmes recentes e consagrados a nível mundial, como também longas-metragens dos “mais novos e promissores autores”.

Ao todo serão exibidos 245 filmes, entre longas e curtas-metragens, sendo que 49 são de autores portugueses. Todas estas obras estarão distribuídas pelas secções “Boca do Inferno”, “Competição Internacional”, “Competição Nacional”, “Director’s Cut”, “Herói Independente”, “IndieMusic”, “Novíssimos”, “Sessões Especiais” e “Silvestre”.

IndieLisboaDentro das várias obras exibidas, destacam-se “An Elephant Sitting Still”, “Person to Person”, “Mariphasa”,”Victory Day”, “O Processo”, “Zama” e “Les Naufragés de L’Île de la Tortue”. Destaque ainda para a exibição dos primeiros dois episódios da série “Sara”, de Marco Martins.

Quanto aos Heróis Independentes de 2018, são eles Jacques Rozier e Lucrecia Martel. Esta edição fica ainda marcada por concertos, debates, “masterclasses” e actividades criativas na secção IndieJúnior. Vários prémios serão atribuídos, que serão entregues por diversos painéis de júris.

A abertura e encerramento do festival ficam a cargo de obras portuguesas. O filme de abertura foi “A Árvore”, de André Gil Mata. O encerramento será feito com a exibição de “Raiva”, de Sérgio Tréfaut.

O festival termina a 6 de maio.