A década de 60 foi um período dourado da história do cinema, que ficou marcado pelo trabalho de realizadores notáveis como Alfred Hitchcock, Sidney Lumet, Stanley Kubrick ou Akira Kurosawa. Com tantos bons filmes editados no espaço de apenas 10 anos, é normal que O Aventureiro de Cincinnati (The Cincinnati Kid no original) tenha passado ao lado de muitos cinéfilos. No entanto, a obra-prima de Norman Jewison é um dos grandes clássicos esquecidos do século XX, especialmente para os fãs de cinema que também apreciem uma boa partida de poker.
Cinquenta e seis anos depois da estreia de O Aventureiro de Cincinnati, decidimos “viajar no tempo” para recordar este belo filme norte-americano da década de 60.

Publicidade

Um elenco de luxo às ordens de Norman Jewison

O primeiro grande destaque de O Aventureiro de Cincinnati é o seu elenco de luxo. Ainda que os actores Edward G. Robinson e Joan Blondell tenham sido nomeados para prémios pelas suas performances no filme, o mais importante é mesmo o lendário protagonista Steve McQueen. Em 1965, McQueen atravessava um dos pontos mais altos da sua carreira, que terminou de forma precoce no início da década de 80 (McQueen faleceu quando tinha apenas 50 anos). O filme contou ainda com a presença da diva de cinema dos anos 60 Ann-Margret e com o icónico cantor Cab Calloway no papel de Yeller.
O elenco foi liderado pelo realizador Norman Jewison que, não sendo um “tubarão” de Hollywood, não deixa de ser um nome de respeito. Entre 1952 e 2003, Jewison trabalhou em mais de 40 filmes e séries, incluindo os clássicos Jesus Cristo SuperstarNo Calor da Noite, ou O Feitiço da Lua. Inicialmente, o trabalho foi oferecido ao realizador Sam Peckinpah, que é principalmente conhecido pelo western de aventura A Quadrillha Selvagem, editado em 1969.

Um coming-of-age centrado no poker

O enredo de O Aventureiro de Cincinnati foi baseado num romance de Richard Jessup e tem como pano de fundo a era da Grande Depressão dos Estados Unidos. O grande destaque da história, no entanto, vai mesmo para o jogo do poker, que está no centro de todas as acções do filme e que é central na cena final épica que coloca frente a frente o herói Eric “The Kid” Stoner (Steve McQueen) e o antagonista Lancey “The Man” Howard (Edward G. Robinson). No seu âmago, O Aventureiro de Cincinnati é um filme que usa o jogo do poker para criar uma história de coming-of-age em que um jovem ambicioso faz tudo o que está ao seu alcance pare realizar o seu sonho de ser o melhor.

A mão impossível de Eric Stoner

Um filme muito apreciado pelos fanáticos do poker, O Aventureiro de Cincinnati ficou famoso ao longo dos anos pela sua cena final, em que Eric Stoner derrota o célebre Lancey Howard com uma mão que, segundo os especialista, é praticamente impossível. O poker é um dos jogos de cartas para 2 ou mais jogadores mais famosos do mundo. Se o poker já era popular na década de 60, hoje em dia pode mesmo ser considerado um fenómeno. Graças ao aparecimento de sites de referência de poker online, o clássico jogo de cartas tem vindo a ganhar uma nova vida nos últimos 10 a 20 anos. Só em Portugal, onde o poker online é extremamente popular, estima-se que mais de 700 mil jogadores tenham jogado online em serviços de poker e derivados desde 2015.
Na famosa cena final de O Aventureiro de Cincinnati, Stoner derrota Howard com uma das combinações mais forte do jogo: um straight flush. O único problema é que Howard tinha um full house, uma combinação apenas ligeiramente mais fraca. Ora, os especialistas de poker fizeram as contas e concluíram que a mão de sorte de McQueen é não só improvável, como praticamente impossível. As hipóteses de derrotar um full house com um straight flush numa partida de poker são de apenas 1 em mais de 45 milhões!

Outras incongruências

Existem outras incongruências relativas ao poker ao longo do filme. Numa das primeiras cenas, o dealer anuncia que as string bets (um tipo ilegal de aposta no poker ao vivo) não são permitidas, mas os jogadores efectuam várias string bets na mesma. Outra nota vai para o facto de que os jogos de poker em O Aventureiro de Cincinnati se processam num modelo de open stakes, que não só nunca foi permitido em casinos como não faz parte das regras do jogo moderno.

Recepção

Recebido sem o merecido entusiasmo à altura da sua edição, O Aventureiro de Cincinnati só teve direito a uma edição em DVD em 2005. Quando o DVD foi editado, a reacção dos críticos foi mais positiva, sendo que vários especialistas de cinema destacaram a exibição notável do protagonista Steve McQueen. Mais tarde, o escritor de livros de poker Michael Wiesenberg referiu O Aventureiro de Cincinnati como “um dos melhores filmes de poker de sempre.”