Rebecca | A mulher inesquecível, por Ben Wheatley

“Rebecca” é um filme de suspense e romance da Netflix realizado por Ben Wheatley e escrito por Jane Goldman, Joe Shrapnel e Anna Waterhouse.

Um remake do filme de Alfred Hitchcock de 1940. É baseado no romance homónimo de 1938, de Daphne du Maurier.

“Rebecca” conta a história de uma jovem de origem humilde, e cujo nome nunca é mencionado, recebendo a denominação de Sra. de Winter, quando se casa com um nobre inglês, Max de Winter, que ainda vive atormentado pelas lembranças da sua falecida esposa. Após o casamento e já a morar na mansão do marido, ela descobre surpreendentes segredos sobre o passado dele.

Interpretada por Lily James, a protagonista feminina denominada Sra. de Winter é uma personagem muito interessante, pelo facto de que quando se casa com Max, já saber que a tarefa de tentar substituir Rebecca não vai ser fácil e mesmo assim não desiste de o tentar fazer, mesmo com todos os contratempos, trazendo assim ao de cima o seu espírito de lutadora.

Quanto ao protagonista masculino, interpretado por Armie Hammer, Max de Winter, nota-se que é um homem ainda atormentado pelo passado, mais precisamente por nunca ter conseguido superar a morte da sua ex-mulher, entre outros segredos…

Ver também: 5 séries recentes de apenas uma temporada a não perder na HBO!

Já a vilã do filme, a Sra. Danvers, interpretada por Kristin Scott Thomas, tal como o protagonista, nunca conseguiu superar a morte de Rebecca, tornando-a assim na minha opinião uma mulher amargurada, que vai fazer de tudo para infernizar a vida à Sra. de Winter.

A Sra. Danvers não para de falar de Rebecca, fartando-se de a elogiar e fazendo com que a Sra. de Winter se sinta inferior, mandou o pior inimigo de Max dar-lhe aulas de cavalo e por fim, fazendo-se de amiga dela para não ser despedida, acaba por “apunhalá-la” no baile de máscaras, dizendo que seria uma ótima ideia ela ir com o vestido que estava num dos quadros da mansão, sabendo que Max não ia gostar.

Neste filme eu destacaria sobretudo as personagens intepretadas por Lily James e Kristin Scott Thomas, pois são elas que conduzem a trama toda do filme, tornando por vezes o protagonista masculino num ator secundário.

Quanto ao final, achei-o um bocado confuso, na medida em que não consegui perceber se fazia parte do sonho, como num momento anterior da história. De resto, “Rebecca” é um filme bom, com uma história que cativa o espectador do princípio ao fim e com bons atores.

O realizador Ben Wheatley já não é novo por estas andanças e apesar de não ser muito conhecido do grande público, com este filme demonstra que ainda tem muito para dar ao cinema.

Destacaria ainda a maneira como a Netflix tem vindo a fazer filmes originais melhores, afirmando-se cada vez mais como uma opção válida na realização de filmes de boa qualidade.

“Rebecca” está disponível na Netflix. Quanto a Ben Wheatley, prepara-se para realizar dois blockbusters: “Tomb Raider 2” (com Alicia Vikander) e “The Meg 2” (com Jason Statham).