Sound of Metal – O Som do Metal | Riz Ahmed e o Poder do Silêncio

A intensidade do Metal é posta à prova pela perda de audição de Riz Ahmed em “Sound of Metal – O Som do Metal”, o novo filme de Darius Marder.

A vida prega partidas quando menos esperamos. Quando pensamos que estamos no caminho certo para um futuro sucesso, surgem obstáculos que nos trocam as voltas. Mas serão estes motivos para pararmos ou para percebermos que apenas temos de mudar de via para encontrar uma solução?

Esta é a questão que Ruben, protagonizado por Riz Ahmed, se debate neste Sound of Metal.  Aqui, Ahmed faz o papel de um baterista de uma banda de metal que, subitamente, começa a perder a audição. Já com 4 anos de sobriedade, mas na vertigem de voltar a consumir, Ruben entra numa comunidade de surdos ex-toxicodependentes que o fará perceber que existem outras formas de viver.

Sound of Metal é uma viagem introspetiva, tanto para a comunidade surda como para a navegação de um novo membro neste meio.

Riz Ahmed está soberbo neste papel. Carregado de frustração, raia e perseverança, este Ruben de Ahmed é uma personagem extremamente aprofundada, com variadas camadas que se vão revelando com subtileza e magistralidade.  É uma das prestações mais fortes do ano e, certamente, um dos principais candidatos para ser celebrado quando chegar a época dos prémios.

Não apenas Ahmed, mas Olivia Cooke também revela novas facetas no papel de Louise, a namorada e companheira de banda de Ruben. Mesmo não sendo o centro das atenções do filme, Cooke consegue marcar a sua presença em cada oportunidade que tem, sendo um óptimo suporte para Ahmed.

Mas Sound of Metal tem o seu maior ponto forte na execução e nas abordagens que faz para colocar o espectador nos sapatos de Ahmed. E muita desta execução recaí sobre uma mistura de som extrema e hiper-eficaz, mostrando-nos aquilo que a personagem (não) ouve. Seja com a utilização do silêncio ou de sons abafados, é uma experiência arrebatadora que nos deixa de queixo caído.

Este filme de Darius Marder é uma viagem sónica, em alta ou em baixa escala, que nos leva diretamente para um Mundo de incertezas e desconhecimentos. Tal como Reuben está a descobrir como navegar naquele meio, nós vamos acompanhando esta descoberta e interpretamos a informação à mesma velocidade que Reuben. É uma abordagem cativante e com um impacto emocional mais profundo.

O ritmo de “Sound of Metal” não está sempre a tocar com a intensidade máxima. Desacelera um pouco na passagem do segundo para o terceiro acto, o que será ainda mais aparente em futuras visualizações. Até mesmo para primeiro impacto, consegues perceber os 120 minutos de duração.

Em oposição ao início caótico, o final silencioso não poderia ser mais climático e poético. Tanto no início como no fim, encontramos um Riz Ahmed sentado, mas em polos opostos da vida. A felicidade está onde menos a procuramos. Basta saber aceitar o que a vida nos dá.

Ver também: Black Bear | A Metafísica da Realidade, com Aubrey Plaza

Sound of Metal” é um dos filmes mais marcantes de 2020. Com uma prestação arrebatadora de Riz Ahmed, este filme de Darius Marder leva-nos numa viagem sensorial que nos desperta para um mundo pouco representado no cinema e que não há nada mais revelador que o próprio silêncio.

“Sound of Metal – O Som do Metal” já se encontra disponível na Amazon Prime Video.