Nem “Elle”, nem “Neruda”, nem “Julieta” lutarão pelo Óscar para Melhor Filme Estrangeiro em fevereiro do próximo ano. “Cartas da Guerra” também fica de fora.

De 95 países candidatos, restam apenas nove: Alemanha, Austrália, Canadá, Dinamarca, Irão, Noruega, Rússia, Suécia e Suíça. Ou melhor, nove propostas provenientes destes países. Seguem as longas-metragens pré-nomeadas (títulos internacionais), com o(s) respetivo(s) realizador(es) e país de origem.

Melhor Filme Estrangeiro (pré-nomeados)

“Toni Erdmann”, Maren Ade – Alemanha
“Tanna”,  Bentley Dean e Martin Butler – Austrália
“It’s Only the End of the World”, Xavier Dolan – Canadá
“Land of Mine”, Martin Zandvliet – Dinamarca
“Salesman“, Asghar Farhadi – Irão/França
“The King’s Choice” Erik Poppe – Noruega
“Paradise”, Andrei Konchalovsky – Rússia
“A Man Called Ove”, Hannes Holm – Suécia
“My Life as a Zucchini”Claude Barras – Suíça

Sandra Hüller e Peter Simonischek no favorito "Toni Erdmann"
Sandra Hüller e Peter Simonischek no favorito “Toni Erdmann”

Ver Também: “Cartas da Guerra” tenta nomeação aos Óscares e aos Goya

Estes títulos irão ser reduzidos apenas a cinco que serão submetidos à votação final. Para já, o favorito a ganhar o Óscar é o drama alemão “Toni Erdmann”, de Maren Ade. Os prémios serão entregues no dia 26 de fevereiro de 2017.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui