Segundo o The Hollywood Reporter a Warner Bros. assinou um contrato com a empresa Cinelytic para poder usar um sistema de inteligência artificial.

Este sistema criado por Thomas Queisser está em desenvolvimento há quatro anos. O sistema A.I. irá ajudar os estúdios a escolherem os seus projetos através de uma análise de possível sucesso do filme assim como uma análise da fama de cada artista em cada país.

Publicidade

Em entrevista ao site THR, o Vice Presidente de distribuição Tonis Kiis dos estúdios afirma que:

Este sistema irá calcular em segundos, o que o ser humano normalmente leva dias a rever.

 

Em 1999, os mesmos estúdios foram responsáveis pelo sucesso da trilogia Matrix, uma série de filmes que toca no tema da supremacia das máquinas. Chega a ser irónico, que o futuro da Warner Bros. esteja dependente de uma máquina.

Pior que isto é o facto de o estúdio decidir tratar artistas como um número. Fica claro, depois de um anúncio como estes, que o foco principal dos estúdios é fazer dinheiro com o que é expectável ao invés de apostarem em novas boas histórias.