Uma Análise aos Clássicos: “Dazed and Confused”, de Richard Linklater

Trailer de "Dazed and Confused", um filme revolucionário que não te vai deixar indiferente.

O “Dazed and Confused – Juventude Inconsciente” pode parecer mais um filme de adolescentes.

No entanto, é tudo menos isso. Vê o filme e percebe porquê!

Alright, alright, alright.

Quem não conhece esta tão emblemática frase? Matthew McConaughey utiliza-a ainda nos dias de hoje, 24 anos após ter interpretado o mítico Wooderson em “Dazed and Confused”. O que provavelmente não sabes acerca desta frase é que foi a primeira frase que o ator disse em frente a uma câmera em toda a sua carreira no cinema.

“Dazed and Confused” apresenta-nos várias situações que acontecem no último dia de aulas numa escola secundária no Texas em 1976. Este filme é um dos maiores blockbusters americanos sendo um símbolo de irreverência, rebeldia, liberdade e uma ode do seu realizador, Richard Linklater, aos seus tempos de adolescência. É um filme simples, mas ao mesmo tempo incorpora em si imensas ideologias.

Ver também: Uma Análise aos Clássicos: “Forrest Gump” de Robert Zemeckis

A sua banda sonora é por si só um clássico, sendo composta por temas de intérpretes como Alice Cooper, Deep Purple, ZZ Top, Foghat, Kiss, Bob Dylan e muitos mais. Aliás, um sexto do orçamento do filme foi gasto em adquirir os direitos dos hits dos anos 70 que estão incluídos na banda sonora do filme.

Além da excelente mensagem, da boa música e da estreia de Matthew Mcconaughey, podes contar com a participação de outros brilhantes atores como Ben Affleck, Adam Goldberg e Rory Cochrane. Guardião de uma juventude imortal, “Dazed and Confused” é sem sombra de dúvida um must-see obrigatório.