A grande tendência do cinema em colocar a raça humana em confronto com forças titânicas acontece desde há muito tempo.

É comum vermos como a humanidade luta e se desenvencilha dessas mesmas forças, como que querendo inchar ainda mais o seu ego e mostrar que é capaz de vencer tudo o que lhe cai em cima.

Publicidade

Monstros gigantes são muito apreciados em países asiáticos, com o Japão apresentando-se o maior recordista no que toca ao uso de monstros ou mesmo robôs de tamanho de prédios inteiros. Quanto maior a ameaça, maior a glória conseguida quando no fim do filme o ser humano é único sobrevivente.

No mundo dos Mockbusters, monstros são bastante comuns, sendo representados da forma mais irrealista possível, muitas vezes arrancando mais gargalhadas do que gritos de terror. A The Asylum é bastante conhecida pelos seus filmes “Mega Shark” em que um massivo tubarão enfrenta outros seres impossíveis, em batalhas apocalípticas tão over the top, que muitas vezes os próprios seres humanos não são mais que meros espetadores que se viram envolvidos no confronto.

Contudo, o “Mega Shark” não será abordado nesta edição do “Blockbuster Vs Mockbuster“, e por duas razões: 1º: Não se trata do mockbuster de nenhum filme em particular e sim de uma produção completamente original; e 2º: Os filmes que serão apresentados esta semana colocam a raça humana num confronto com os monstros em questão, ao invés de vermos dois monstros lutarem entre si.

King Kong

A versão de 2005 de Peter Jackson é o mais recente remake do original com o mesmo nome de 1933 e com ele contamos com a presença de uma enorme besta primata que simpatiza com uma jovem mulher e ambos criam uma relação muito próxima. Isso leva a uma história de amor bizarro que acaba com a própria perdição do enorme gorila. Esta produção de Jackson expande em muito a aventura original e acaba por desenvolver mais as personagens e uma história intemporal.

King of the Lost World

The Asylum arranca mais uma vez esta lista com uma produção que tão presunçosamente se afirma como a história que inspirou “King Kong” e “Jurassic Park“. Contudo, esta nada mais é do que uma tentativa de lucrar com o filme do famoso gorila gigante. A capa deste filme até inclui uma besta muito similar, mesmo sabendo que a mesma só aparece nos últimos minutos. Durante o resto do filme, as personagens tentam encontrar uma forma de escapar do planalto onde se despenharam. Esta é uma versão mais atual do romance “The Lost World“, enquanto toma algumas liberdades com o enredo; no entanto, sem conseguir obter boas críticas.

Piranha 3D

Este filme pode não ter monstros gigantes, mas a ameaça que representam faz com que sejam equiparados a todos os outros nesta lista. Trata-se de um muito livre remake da versão de 1978: um pequeno sismo num lago abre uma fenda e deixa escapar um grupo de perigosas piranhas que rapidamente ameaçam a paz num lago onde centenas de jovens e turistas esperam passar bons momentos. Apesar de ser considerada uma comédia de terror, as piranhas serem CGI e grande parte do filme mostrar mulheres em biquíni, as críticas foram até bastante positivas, levando a que uma continuação fosse lançada em 2012, embora com uma história mais ridícula.

Mega Piranha

Pelo título, já podemos notar logo que se trata de um mockbuster. “Mega Piranha” pega num cardume de ferozes animais carnívoros e transforma-os em gigantes peixes monstruosos que ameaçam a segurança mundial. O tamanho dos animais acaba por atingir proporções absurdas, chegando mesmo a ser o suficiente para destruir navios de guerra e submarinos inteiros. Com artilharia pesada completamente ineficaz, a solução que encontram para acabar de vez com a ameaça passa por… reunir um grupo de mergulhadores, tentar ferir as piranhas e fazê-las devorarem-se umas às outras. E resulta. Ridículo.

Cloverfield

Cloverfield” coloca o realizador J. J. Abrams à frente de um found footage que relata os acontecimentos de um grupo de sobreviventes durante o ataque de um monstro desconhecido em Nova Iorque. Pelo meio há um subplot de um relacionamento amoroso entre os dois protagonistas, levando a que todo o filme se trate de uma busca de salvamento, percorrendo ruas destruídas e espreitando por todos os cantos. Todo o filme é uma intensa corrida, fugindo de perigos incontáveis e sentindo o medo por que todas as personagens passam sempre que um vislumbre do monstro passa pela objetiva da câmara.

Monster

Monster” é claramente aquilo que representa: um monstro gigante (mais propriamente um polvo) ataca e destrói a cidade de Tóquio, enquanto duas personagens tentam lutar para sobreviver, enquanto carregam em mãos uma câmara e documentam todo o acontecimento. É talvez dos mockbusters que menos tenta ser diferente daquilo que está a copiar, pois este filme não passa de um rip off de “Cloverfield“, as únicas diferenças sendo a cidade e o monstro que a ataca.

Godzilla

Estamos perante o Rei dos Monstros, um veterano das bestas gigantescas e um ícone do cinema desde a sua estreia em 1954. “Godzilla” conta neste momento com cerca de trinta filmes, a sua maioria japoneses, onde esta criatura é originária. Este monstro tornou-se num símbolo tão emblemático que acabou por dar à luz uma miríade de muitos outros monstros, tais como Rodan, Mothra, Ghidorah, Mechagodzilla, entre muitos outros. Várias adaptações já foram feitas e novas estão já agendadas para o futuro, mantendo sólida a presença do mais feroz de todos os Kaijus (monstros gigantes).

Gamera

https://www.youtube.com/watch?v=nz6rOeFyk_c

Este é capaz de ser o único caso na história do cinema em que um mockbuster ganha a sua própria franquia. “Gamera” é, tal como a sua contraparte, um gigantesco monstro que aparenta gostar de destruir cidades. Com a forma de uma massiva tartaruga bípede, capaz de lançar fogo pela boca e de voar ao girar a carapaça, esta criatura surgiu nos anos 60 e rapidamente conquistou uma legião de fãs. A franquia pode não contar com uma coleção de filmes tão vasta como “Godzilla“, mas também podemos desfrutar de inúmeros confrontos entre esta criatura gigantesca e outras ameaças. Para quem gosta deste género de filmes, “Gamera” é uma boa opção.