Quando ouvimos falar em acusação de plágio normalmente associamos empresas pequenas a copiar empresas grandes, mas neste caso específico é o contrário. A produtora Tezuka Productions acusa a Disney dizendo que “O Rei Leão” é um plágio do anime “Kimba – O Leão Branco”, mas será mesmo que a Disney plagiou mesmo o anime?

Publicidade

Ou simplesmente baseou-se no anime para fazer o filme e agora a produtora do anime está a tentar ganhar algum dinheiro com isto? É isso que vamos descobrir.

Kimba vs Simba

O Rei Leão foi um estouro no seu lançamento, no começo dos anos 90,após décadas de muitas adaptações de contos de fadas ou de clássicos da literatura. A Disney já tinha mostrado a sua intenção de produzir o seu primeiro filme totalmente original  desde a década de 70, o resultado deu muito certo e o mundo inteiro estava cantando “Hakuna Matata” enquanto comprava produtos licenciados como se não houvesse amanhã. Porém, enquanto a Disney lucrava bastante com um de seus maiores êxitos da década, um burburinho começou a surgir em alguns lugares.

Vários meios de comunicação, tanto nos EUA quanto noutros países, começaram a fazer matérias apontando como O Rei Leão não era tão original assim, e que a história de Simba era muito parecida com a de uma série japonesa estrelada por um leão chamado Kimba. Pois é, até o nome de um dos personagens não ajuda a aliviar a tensão da Disney. Embora tenham semelhanças inegáveis entre o filme americano e o anime japonês, o caso de suposto plágio de O Rei Leão é um mistério até hoje, com algumas pistas desconexas e declarações bem suspeitas.

Quem é Kimba?

Tudo começou em Novembro de 1950, quando Osamu Tezuka publicou o mangá Jungle Taitei (“O Imperador da Selva” em português) nas páginas da revista Gakudosha. Considerado o criador do mangá como o conhecemos, a história do Imperador das Selvas na verdade veio de uma “insatisfação” pessoal nascida após assistir ao filme Bambi, da Disney.

Para Tezuka, não fazia muito sentido os animais terem tanto medo dos seres humanos e que, se eles tivessem aquela inteligência demonstrada no filme, o mais lógico seria terem tentado uma aproximação com os humanos. Isso foi refletido na forma como Tezuka construiu o comportamento dos seus personagens no mangá: em certo ponto da história, o leãozinho protagonista faz amizade com um rapaz chamado Kenichi e até ajuda os outros animais a aproximarem-se dos seres humanos.

Ver também: Alice in Borderland: Quando o “mangá” ganha vida

As histórias são diferentes, criadas em épocas diferentes e até existe uma explicação para o nome dos dois personagens ser parecido, mas ainda existem certos pontos que precisam de ser explicados.

O Suposto Plágio

Quando O Rei Leão estreou em 94, a polémica sobre o suposto plágio começou a vir á tona. O jornal Los Angeles Times perguntou a opinião de Frederik Schodt, especialista em mangás, a respeito da polémica e para o especialista autor de um livro sobre a história dos mangás, admite existir uma cena no filme “O Rei Leão” que é praticamente impossível ser mera coincidência.

Acusados de plágio, os produtores da Disney logo vieram a público  defender-se. Rob Minkoff, diretor de O Rei Leão, afirmou desconhecer a série animada japonesa e que só foi descobrir as tais semelhanças quando foi ao Japão promover o filme e lhe perguntaram sobre o assunto.

Roger Allers, o outro diretor de O Rei Leão, tem no seu currículo um trabalho como animador, imaginem só aonde? No Japão. Justamente nos anos 80, coincidentemente durante a exibição do novo anime de Kimba, seria muito improvável ele estar no Japão nessa função e não ter visto Kimba uma única vez. Por sua vez, Tom Sito, animador do filme, contou  numa entrevista ao HuffPost que era possível a possibilidade dos animadores de “O Rei Leão” terem visto o anime do Kimba quando foi transmitido nos EUA na década de 60. Entretanto, ele rejeita a ideia de plágio.

As confusões entre Simba e Kimba e o fim da polémica

Para piorar a situação, alguns envolvidos na produção do filme chegaram a confundir “O Rei Leão” com”Kimba, o Leão Branco”. Para começar, Roy Disney (filho de um dos fundadores da Disney e responsável pela empresa durante parte do século passado) chamou o personagem principal de “O Rei Leão” de Kimba numa ocasião anterior ao lançamento do filme. Já Matthew Broderick, dublador do Simba, fez uma confusão ao ser escalado para o papel: ele achou que havia sido chamado para dublar o Kimba numa suposta nova versão da animação japonesa que ele assistia quando criança.

Na época da estreia, a autora de mangá Machiko Satonaka enviou uma carta aberta a vários veículos japoneses e americanos denunciando o plágio ao original do Tezuka. Ao final do desabafo, a mangaká pedia que ao menos colocassem um aviso no começo do filme avisando que se tratava de uma homenagem a Osamu Tezuka.

Sendo assim, Takayuki Matsutani, presidente da empresa japonesa, explicou que Tezuka ficaria honrado com as semelhanças se estivesse vivo. “Em vez de entrar com um processo, nós ficamos muito felizes de saber que pessoas da Disney viram o trabalho do Tezuka”, disse o presidente em uma declaração para o jornal americano The Baltimore Sun e para encerrar de vez com a discussão, declarou que O Rei Leão é diferente de Kimba – O Leão Branco.

As coincidências

O NOME:

O nome original do personagem do mangá e animação japonesa é Leo. No entanto, quando a produção chegou ao Ocidente, Leo já era uma marca registrada do estúdio MGM. Os produtores escolheram “Kimba” por ser próximo da palavra do idioma suaíli que significa “leão” – no caso, Simba.

CENAS E PERSONAGENS:

Quando O Rei Leão da Disney foi lançado, um crítico americano especialista em mangá “atirou mais lenha para a fogueira” do suposto plágio observando que a cena em que Simba conversa com Mufasa, já morto e em forma de espírito que surge entre as nuvens, é tão semelhante com uma cena do mangá que não poderia ser apenas uma mera coincidência. Os Simpsons entraram na polêmica e colocaram Lisa conversando com diversas personalidades mortas que aparecem nas nuvens — entre elas, o leão Mufasa, que olha para a pequena e diz:

— You must avenge my death, Kimba… dah, I mean Simba (TU deveS vingar A minha morte, Kimba… Ups, eu quis dizer, Simba).

 

Além da similaridade entre Kimba e Simba, a produção da Disney e o mangá japonês têm outros personagens em comum. Na história americana o vilão é Scar, tio do personagem principal, que deseja ele mesmo tornar-se o rei da selva. Scar tem uma juba negra e uma cicatriz no olho esquerdo — assim como Claw, o vilão da história japonesa, que exibe a mesma marca no olho e a mesma cabeleira.

Mas há outras cenas e personagens similares, como o babuíno que em O Rei Leão é o sábio da floresta, os animais partindo em fuga, imagens da vida selvagem e a majestosa cena em que o rei leão — americano ou japonês, Simba ou Kimba — estufa o peito e, magnânimo, observa o reino do alto de um montanha.

O VEREDITO

Na minha opinião esta acusação de plágio que a produtora Tezuka Productions faz tem e ao mesmo tempo não tem razão de ser. Tem razão de ser porque como podem ver no vídeo acima existem muitas cenas de “O Rei Leão” que coincidem com cenas de “Kimba- O Leão Branco” como por exemplo a cena em que Simba fala com Musafa que aparece numa nuvem já para não falar da coincidência entre várias personagens. Não tem razão de ser porque as histórias são completamente diferentes ou seja, em Kimba explora-se a relação entre o Homem e o reino animal já em ” O Rei Leão” mostras as aventuras do jovem Simba antes e depois da morte do seu pai e a rivalidade com o seu tio por causa da sucessão ao trono, sem nunca aparecer um humano ao longo do filme tal como em Kimba.

Segundo o meu parecer ” O Rei Leão” é  uma inspiração no anime “Kimba-O Leão Branco” não tendo nada de plágio como já disse em cima e se Ozama Tezuka (criador de Kimba) fosse vivo na altura em que “O Rei Leão” foi lançado ele teria orgulho ao ver que a Disney se inspirou no anime dele para fazer o filme, já que ele era apaixonado por ela.

Agora deixo ao vosso critério decidirem se a Disney plagiou ou não a ideia de Ozama Tezuka.