“Grinch” – Mais uma Voltinha no Clássico

grinch destaque

O verde e mal-humorado Grinch regressa ao grande ecrã em formato de animação para espalhar um pouco de magia natalícia em 2018.

Depois de uma aventura  no decorrer do ano de 2000 por uma versão live action interpretado por Jim Carrey, o Grinch regressa ao formato de animação para contar a história clássica infantil escrita por Dr. Seuss em 1957.

Para quem não sabe (ou necessita de um relembrar), “Grinch” relata-nos como o Grinch, um ser verde e solitário que vivia numa gruta nos arredores da cidade de Whoville, odeia o Natal e o espírito natalício tão presente nos habitantes da cidade. De modo a terminar de vez com o Natal, ele decide disfarçar-se de Pai Natal na noite da consoada e roubar todas as decorações e presentes na cidade enquanto os habitantes dormem. Porém, nesta aventura ele descobrirá que ainda existe bondade no seu coração e que precisa de estar junto dos habitantes para saber celebrar a quadra natalícia.

Grinch

Desta vez, Benedict Cumberbatch empresta a sua voz à personagem principal. Para além da mudança de tom da voz, a maior mudança no Grinch é o facto deste deixar de ser um ser malicioso e com um mau génio, para ser mais semelhante a um incompreendido que, desde o início, demonstra que tem um bom coração devido à relação tão próxima que tem com o seu cão doméstico Max. Esta mudança facilita a empatia entre Grinch e o espectador, mas considero que retira um pouco o impacto do arco que a personagem tem ao longo da história.

Vê Também: Aquaman – Divulgado trailer final do filme de James Wan

A animação está ao que estamos acostumados vindo da produtora Illumination, como “Gru – O Mal Disposto”, “Minions” e A Vida Secreta dos Nossos Bichos”. Não imprime o realismo que é primário para as animações da Pixar, mas sim o foco é a criação de personagens e cenários com feições arredondadas e cores primárias a compor a imagem. Resulta como meio de embelezar a tela e chamar a atenção do público mais jovem, apesar de não ser o tipo de animação mais preferível no meio.

Grinch

Porém, a grande questão é: Como é que se consegue transferir a história de um livro com somente 64 páginas no total para um filme de hora e meia? Muito simples – acrescenta-se enredo que não estava presente na história original.

Neste caso, seguimos a história de uma mãe solteira, com 3 filhos, um deles sendo a Cindy-Lou (Cameron Seely), que tem uma missão muito importante de fazer um pedido ao Pai Natal. Apesar de se interligar no final com a história pessoal do Grinch, toda a história adjacente cola-se na perfeição à típica expressão portuguesa de “encher chouriços”. No fim de tudo, retira tempo de antena ao Grinch e às suas desavenças com os habitantes, bem como ao próprio assalto à decoração natalícia na cidade – dois grandes momentos na história que aqui passam como uma rajada de vento.

Grinch

Grinch” é um filme inocente, que conseguirá entreter momentaneamente os mais jovens. Contudo, apesar das suas cores brilhantes e um Grinch algo adorável desde o início, esta não será a versão da história clássica que será recordada como a mais marcante.

Subscreve a nossa Newsletter

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo o que se passa no mundo do cinema e televisão.

Informações:

O que achaste? Segue-nos @cinema_planet no Instagram ou no @cinemaplanetpt Twitter.

Tags :
Benedict Cumberbatch,Grinch
Partilhar:
Publicações Relacionadas:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *