Numa entrevista com o site Vox, o CEO da Marvel Studios admitiu que considera que seria “maravilhoso” ver o filme “Black Panther” a receber nomeações na próxima edição dos Óscares. No entanto está perfeitamente ciente do quão raro é um filme de super-heróis receber nomeações que vão além de “Melhor Maquilhagem e Caracterização” ou “Melhores Efeitos Visuais”.

Black Panther
Kevin Feige, o CEO da Marvel Studios

Como nós sabemos, a Academia sempre foi pouco aberta a nomear filmes de género. Fossem eles de terror, ficção científica ou de super-heróis, apesar da sua boa receção crítica ou comercial global. No entanto, alguns exemplos demonstram o contrário… Que é possível sim haver reconhecimento de talento nas galas de prémios que vá além dos Saturn Awards ou dos MTV Movie Awards. Este ano, Jordan Peele foi galardoado com o Óscar de Melhor Argumento Original, pela comédia de terror/ficção científica “Foge”, sendo o primeiro vencedor afro-americano nessa categoria, e James Mangold, Scott Frank e Michael Green receberam a nomeação para “Melhor Argumento Adaptado” pelo filme “Logan”.  Foi o primeiro filme de super-heróis a ser nomeado nesta categoria na História.

Publicidade
Black Panther
Lupita Nyong’o, Chadwick Boseman e Letitia Wright em “Black Panther”, de 2018

Kevin Feige considera que há demasiado trabalho e talento em “Black Panther” para não ser reconhecido. Aspetos como o guarda-roupa, o argumento, as interpretações e a realização devem ser tidos em conta. Por isso, a Marvel quer avançar com uma campanha para a produção respetiva seja recompensada. Mesmo assim, não tem muitas esperanças que tal se concretize.

É importante frisar que são raros os filmes de super-heróis que conseguem ser mais que blockbusters divertidos de ação. Tal como “Logan”, “Black Panther” consegue ser tudo o que um fã da Marvel pede. Mas fá-lo enquanto levanta questões morais, sociais e políticas extremamente relevantes nos dias de hoje, que o diferenciam dos restantes.

Black Panther

A bilheteira dum filme jamais deve ser o primeiro argumento levantado para defender a sua qualidade, seja temática ou técnica. Mas facto é que “Black Panther” é um dos poucos filmes do Universo Cinematográfico da Marvel a atingir a marca de 1 bilião de dólares, o que realça o quão o público gostou e, em princípio, o quanto este se destaca dos seus restantes “irmãos”.

Digamos que, seja futuramente reconhecida pela Academia ou não, a Marvel está num bom caminho para empregar os realizadores certos e produzir filmes mais sérios, sem nunca se esquecer do fator entretenimento.