Ma, filme de Tate Taylor, protagonizado por Octavia Spencer, foi o filme da sessão de abertura do MotelX.

O filme conta a história de sue Ann, uma mulher empregada numa loja de animais e que, numa tarde, decide ajudar um conjunto de adolescentes a comprar bebidas alcoólicas. Será que quando a esmola é muita se deve realmente desconfiar?

Pela premissa percebe-se que o filme não é nada por aí além e nisso não engana. Começa com um ritmo lento e mantém essa lentidão até ao segundo ato. Isto significa então que só começa realmente a aquecer, no que toca ao terror, no final do filme. Porém, esses momentos conclusivos são rápidos, pouco satisfatórios e não fazem valer toda a espera a que o espetador foi sujeito. Tenta ainda construir relações subtis dentro da narrativa que depois são pouco eficazes e até previsíveis.

ma filme

O filme não procura ser inovador e trabalha vários clichés que já conhecemos – as personagens dos jovens são uni dimensionais e estão apenas preocupados com problemas típicos do liceu – romances rápidos que o espetador dispensa ver e um estranho vício de andar sempre a beber em festas.

Outro grande problema do filme está na construção da protagonista. Trata-se de um filme de terror e é suposto temer ‘Ma’ (o nome pelo qual a Sue Ann fica conhecida), mas a verdade é que temos mais pena dela do que medo.

motel x ma

Além disso, há escolhas simples como por exemplo, o guarda-roupa que também foi económico num mau sentido. Não houve muito esforço, pois a protagonista está quase sempre com a sua bata de trabalho até a um ponto em que começamos a estranhar não haver essa mudança durante bastante tempo.

A atriz Octavia Spencer é a estrela do filme com uma performance sinistra e competente. Também Diana Silvers (uma das jovens personagens) está bem no seu papel. Contudo, o argumento não ajuda nenhuma das duas para que possam brilhar mais. Tanto uma como outra já tiverem papéis mais interessantes e bem construídos.

Ma é lento num sentido negativo,diverte com alguns momentos cómicos, mas não passa disso. Apesar de alguns momentos visuais perturbadores, não é assustador e muito menos bem construído.

REVER GERAL
Realização
55 %
Argumento
50 %
Representação
60 %
Banda Sonora
45 %
Fotografia
50 %
Efeitos Visuais
55 %
Artigo anteriorCriadores de “Friends” afastam possível retorno
Próximo artigoMargot Robbie como professora em “Fools Day”?
Licenciada em Ciências da Comunicação na FCSH-UNL e atualmente a tirar mestrado de jornalismo. Redatora no Espalha-Factos na secção de TV & Media. Aspirante a jornalista que sempre foi apaixonada pela comunicação, cultura e pela prática de informar. A esta grande paixão juntou uma outra, a sétima arte. Colaboradora do Cinema Pla'net desde Fevereiro de 2019. https://letterboxd.com/rafaelastex/ https://letterboxd.com/rafaelastex/
ma-quando-esmola-muita-devemos-desconfiarMa é lento num sentido negativo,diverte com alguns momentos cómicos, mas não passa disso. Apesar de alguns momentos visuais perturbadores, não é assustador e muito menos bem construído. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui