Quando a Paramount lançou o filme de horror psicológico “Mãe!”, com uma das ‘caras bonitas’ de Hollywood – Jennifer Lawrence – e o ‘cara de mau’ Javier Bardem, sabiam que o filme iria provocar nas pessoas fortes reações. O que não esperava era a classificação F por parte da CinemaScore.

Só cerca de meia dúzia de filmes tiveram esta classificação, nos tempos modernos. A maioria deles devido a uma má interpretação por parte dos espectadores e porque não conseguem ultrapassar os 15 milhões de dólares nas bilheteiras do mercado doméstico (Americano). “Mãe!” recebeu a nota F na sexta passada, depois de ter estreado em 2368 cinemas e ter faturado apenas 7.5 milhões de dólares, sendo, também, o pior lançamento na carreira de Jennifer.

Publicidade

Apesar desta nota, o filme consegue uma nota de 68% no Rotten Tomatoes, o suficiente para que em Hollywood se questione se esta disparidade entre os dois sites de classificação de cinema, e que mostra que um filme que até teve boa aceitação por parte dos críticos, está a ser carimbado pelas audiências como um filme a não ver.

Segundo Paul Dergarabedian do comScore, isto pode estar relacionado com um trailer que se torna propositadamente equívoco e que poderá levar o público a pensar que o filme vai levar um rumo diferente daquele que depois acontece no filme. Contudo, Darren Aronofshy não é o primeiro realizador aclamado a ver um filme seu ter a nota mais baixa que pode ser atribuída pelo CinemaScore: “Bug” (2007), “Solaris” (2002) e “Killing Them Softly” (2012) são alguns dos exemplos. Alguns deles conseguiram  sair um pouco do buraco quando a nível mundial as receitas se aproximaram do expectável.

Esta é uma situação algo recorrente em filmes de terror, com uma exceção:IT“! A adaptação do livro de Stephen King, por parte de Andy Muschietti, é o filme de terror com a melhor bilheteira na sua estreia com 123.3 milhões de dólares e, ao fim de 10 dias, aproxima-se dos 220 milhões de dólares. Normalmente um filme com estes valores de bilheteira tem uma classificação de A, mas no CinemaScore tem uma nota de B+.

Nós ainda não o vimos, mas prometemos uma critica assim que isso acontecer.