No Centro do Labirinto | O jogo obscuro da mente com Servillo e Hoffman

O thriller “No Centro do Labirinto” joga com a proposta dos coelhos misteriosos e do caça-detetive para desvendar o caso.

O filme teve a sua antestreia na 13ª Festa do Cinema Italiano e chegou agora aos cinemas a 2 de Setembro.

Publicidade

“No Centro do Labirinto” conta a história do rapto de Samantha, a caminho da escola, por um coelho gigante. Quinze anos depois ela está no hospital sem memória e fraca, junto de Dr. Green, tentando ajudá-la a lembrar-se do labirinto no qual ficou presa.

Quanto ao investigador Bruno Genko, contratado há quinze anos pelos pais da vítima, já não tem muito tempo de vida e, como resultado, o caso de Samantha pode ser o seu último.

No elenco, junta-se a Valentina Bellè na pele da vítima Samantha, Toni Servillo como o investigador Bruno Genko e o luxuoso e brilhante Dustin Hoffman na pele de Doctor Green.

A caça não começa aí. Começa na sua mente. [Dr. Green, Dustin Hoffman]

O realizador Donato Carrisi, autor do próprio bestseller que aqui adapta ao cinema, faz uma jogada perigosa ao utilizar um assassino de máscara e, ainda por cima de coelho, – Quem apanhou a referência a “Donnie Darko”? – tentando atrair o público com a presença de Toni Servillo e Dustin Hoffman.

Por outro lado, o facto de Samantha estar num labirinto e ter que realizar tarefas e jogos para sobreviver, aparenta ser uma espécie de plágio da saga “Saw – Enigma Mortal”.

Ver também: Miss | O regresso bem-sucedido do realizador de “A Gaiola Dourada”

Quanto à banda-sonora, conta com o compositor Vito Lo Re, que está presente também noutras obras de Carrisi como “A Rapariga no Nevoeiro” (também com Toni Servillo), e que no geral consegue entregar emoção às cenas.

Um dos trabalhos mais interessantes no filme diz respeito à direção artística de Tonino Zera (“O Milagre em Sant’Anna”) e Chiara Balducci (“Um Peixe Fora de Água”), sempre a despertar a curiosidade para o que vai acontecer, através de pequenos detalhes. É percetível ainda o cuidado com a paleta de cores e na forma como as cenas são muito bem montadas.

Ver também: Lamento de Uma América em Ruínas | Glenn Close e pouco mais…

“No Centro do Labirinto” consegue ser um filme ‘agradável’ no geral e trazer um elenco de luxo, mas que deve dececionar os fãs mais dedicados do género.

“No Centro do Labirinto” estreia a 2 de Setembro nos cinemas.