Tendo estado em inatividade na televisão durante a última década, Sacha Baron Cohen regressa ao pequeno ecrã. Desta vez, espera-se que o inglês surja com um enredo semelhantemente cómico, mas politicamente mais comprometido.

No passado dia 15 de julho, estreou nos pequenos ecrãs americanos, mais propriamente na Showtime, a mais recente série de comédia criada e protagonizada pelo ator, guionista e humorista inglês Sacha Baron Cohen. “Who is America?” trata-se de um mockumentary politicamente satírico, isto é, um falso documentário ao estilo próprio de Cohen, como este já fez no filme “Borat”, de 2006, e na série de entrevistas da Channel 4 e da HBO, “Da Ali G Show”.

Desta vez, o programa consistirá em inúmeras entrevistas a figuras públicas americanas controversas, realizadas por quatro novos personagens que Sacha desenvolveu no último ano: Billy Wayne Ruddick Jr.Dr. Nira Cain-N’DegeocelloRick ShermanErran Morad. Em “Who is America?”, Sacha pretende colocar em cima da mesa questões atuais e delicadas da sociedade e política americanas. Em Portugal, a série poderá ser exclusivamente vista na TVSéries, a partir do próximo domingo, dia 22 de julho.

Vê também: Divulgado o primeiro teaser de “Glass” centrado na personagem de McAvoy

Sacha Baron Cohen publicamente idolatra o falecido ator inglês Peter Sellers. E, tal com aquele, também sempre interpretou inúmeros personagens originais com a intenção de satirizar cada parte da sociedade moderna. O rapper britânico Ali G, o jornalista cazaque Borat Sagdiyev, o repórter de moda austríaco Brüno Gehard e o Almirante General Aladeen, o ditador da República fictícia de Wadiya, são dos personagens mais conhecidos do ator. Fora as entrevistas falsas, as últimas vezes que pudemos ver Cohen foi nos filmes de 2016, “Irmãos e Espiões” e “Alice do Outro Lado do Espelho”.

O próprio anunciou que se sentia cansado dos mundos do cinema e da televisão, devido sobretudo à falta de fair play de determinados órgãos sociais que já não aprovam o seu humor negro. Precisando de descansar para arranjar novas ideias e também coragem para abordar determinados temas atuais, o ator prevê que a nova série lhe dê problemas na forma de protestos e manifestações para cancelar o programa, devido aos inúmeros movimentos intolerantes contemporâneos às mais agressivas formas de humor. Veremos como se sairá.