Safe Spaces – Um Espaço Seguro | A sátira melancólica de um professor

“Safe Spaces – Um Espaço Seguro” segue a história de Josh, um professor universitário, que é chamado à atenção depois de um comportamento polémico na sua sala de aula.

Além disso, o filme segue a sua família problemática, cuja avó se encontra doente no hospital e às portas da morte.

Publicidade

Tive de pensar um pouco antes de escrever a crítica de “Safe Spaces”, isto porque honestamente demorei a entender se a mensagem do filme conseguiu passar algo benéfico ou se foi demasiado auto-indulgente.

“Safe Spaces” utiliza um tom um tanto descontraído para lidar com temas como cancel-culture, questões raciais, uso de drogas, entre outras coisas, que por vezes se sobressaem no texto como algo um tanto banal. Por outro lado, esta é a jornada de Josh (Justin Long), um professor demasiado focado nos seus próprios ideais e que se esquece de como a sua forma de se expressar, se não for ponderada, pode afetar as pessoas à sua volta.

Porém o filme também abre uma questão de redenção, que fica muito murcha por um texto que não equilibra a sua crítica social com uma discussão simpática. Afinal de contas, o que a personagem faz no começo do filme é de facto errado, porém o filme monta-se como se tal não fosse durante uma boa parte da história, o que me levou a uma sensação um tanto incerta sobre se a mensagem final seria boa ou má.

Honestamente, acho que o argumentista e realizador Daniel Schecter tentou criticar este tipo de ações, porém o equilíbrio entre estas questões e as escolhas das personagens não é bem conjugado e infelizmente, o terceiro ato não foi o suficiente para me convencer de que o filme conseguiu dizer algo realmente relevante sobre os temas apresentados.

Ver também: “Mangrove” & “Lovers Rock” | O Pêndulo de McQueen em “Small Axe”

Dito isto, o filme tem alguns pontos positivos. A escrita melhora imenso quando se passa no meio familiar de Josh, cuja dinâmica entre os irmãos, pais e em especial a avó (Lynn Shelton), é descrita com diálogos muito vivos e algumas performances bem conseguidas.

No final das contas, este lado da história demonstra as personagens, que se em boa parte do filme parecem estar constantemente a gritar a Deus por ajuda, aqui parecem pessoas humildes, com carinho mas também algum conflito, e honestamente, apesar de não ser algo interessante o suficiente para montar a história completa, talvez com mais alguns elementos, teria sido algo mais importante para explorar ao invés de uma crítica social mal trabalhada.

Ver também: Miss | O regresso bem-sucedido do realizador de “A Gaiola Dourada”

“Safe Spaces” é ambicioso nas questões que pretende abordar. Porém fica no meio do caminho com uma crítica social mal equilibrada, cujo ritmo e tom leve afogam a importância de certos elementos narrativos. Ainda assim, o filme tem boas performances e uma história secundária algo cativante.

“Um Espaço Seguro” já estreou em VOD em Portugal.