Numa mudança de paradigma para a indústria cinematográfica, a Warner Bros. anunciou que a partir de “Wonder Woman 1984”, também o seu calendário completo de estreias de 2021 estreará em simultâneo nos cinemas e na HBO MAX.

Entretanto, foi hoje confirmado na Web Summit que a HBO MAX chegará a Portugal e restante mercado europeu já no segundo semestre de 2021.

Numa jogada inédita na indústria do cinema, a Warner Bros. tinha anunciado que ia estrear o blockbuster “Wonder Woman 1984” em simultâneo nos cinemas e na HBO MAX. Mas agora, uma nova notícia tem um impacto histórico. Todo o calendário de 2021 estreará em simultâneo.

Publicidade

Isto significa que filmes de grande orçamento e muito aguardados pelos fãs como “The Suicide Squad”, “Dune”, “The Matrix 4”, “The Conjuring 3”… entre muitos outros, estrearão no mesmo dia nos cinemas e em casa.

Ver também: “Mangrove” & “Lovers Rock” | O Pêndulo de McQueen em “Small Axe”

Em conversa, aqui ficam alguns comentários da equipa do Cinema Planet:

RF: A mim diretamente não me afeta porque vou na mesma ao cinema, mas assim as pessoas vão cada vez menos. As grandes obras deixam de ir para o ecrã gigante e passam a ser concebidas diretamente para a televisão. E aí sim, começa a afetar-me porque deixo de as poder ver no cinema. É absurdo, o declínio do cinema! Declínio é muito forte… Mas não sei se não é o princípio disso.

JB: Declínio não é, mas é uma grande mudança que já estava pensada a longo prazo. Esta estratégia não é por causa da pandemia. É algo que os estúdios estão a “cozinhar” há já muito tempo… Arranjar uma forma de cortar o intermediário (cinemas) e não ter o lucro repartido. Isto iria sempre acontecer, com ou sem pandemias. A pandemia veio apenas acelerar as coisas. As produtoras terão na mesma lucro para fazer grandes e pequenas produções. Agora, o que vai acontecer é que as salas de cinema, para não se tornarem obsoletas, terão de arranjar novas formas originais para chamar público. Vai haver uma evolução gigante, por exemplo, na tecnologia 3D (tirarem a porcaria dos óculos). Cenas assim para puxar mais o público para as salas. O cinema vai continuar a existir, vai apenas tornar-se mais como um evento, como ir a um concerto. E também acho que 2021 será o ano teste desta estratégia. Se não resultar, num instante a Warner Bros. irá aperceber-se e volta tudo ao normal. Portanto, é ver no que isto irá dar.

JM: WTF MAN! Já estão a surgir vacinas! Porque é que estão a fazer isto? Isto é ridículo! Desculpem mas fiquei um tanto chateado, ainda não li a noticia, só a tagline, mas vou ler para me acalmar. Mas sem grandes receitas como é que vamos ter grandes orçamentos? Vamos começar a ver blockbusters com menos qualidade de produção?

MR: Não acredito que seja o declínio, mas é definitivamente um game-changer. Um filme como o “Dune” vai continuar a ter mais impacto num ecrã gigante que no telemóvel. E embora muitos fiquem em casa, há os que irão ao cinema em quantidade suficiente para manter as salas. Podemos é estar perante receitas mais baixas de cinema e em que os ‘event-movies’ têm uma grande semana de abertura e depois acabou, passamos ao próximo. De qualquer maneira todo o mercado de cinema europeu, asiático, sul-americano… vai continuar praticamente como está. E não penso que os blockbusters passem a ter menor qualidade de produção só por saírem em simultâneo no streaming. Cada episódio de “The Mandalorian” ou “The Crown” ou “Game of Thrones” tem orçamentos gigantescos e uma qualidade irreprensível e, no entanto, são séries que estreiam diretamente na televisão. Acredito que os filmes, mesmo a estrear em simultâneo, continuarão a ter um bom nível de qualidade técnica. O fim das salas de cinema foi anunciado quando apareceu a televisão, e ainda aqui estão!

Calendário Warner Bros. 2021

Janeiro: The Little Things | Março: Tom & Jerry – O Filme ; The Many Saints of Newark | Abril: Reminescência | Maio: Godzilla vs Kong | Junho: The Conjuring 3 – A Obra do Diabo ; Ao Ritmo de Washington Heights | Julho: Space Jam – Um Novo Legado | Agosto: O Esquadrão Suicida | Outubro: Duna | Novembro: Elvis ; King Richard | Dezembro: The Matrix 4 ; Sherlock Holmes 3 | Sem data (2021): Mortal Kombat ; Zack Snyder’s Justice League ; Cry Macho ; Judas and the Black Messiah ; Malignant ; Those Who Wish Me Dead

Fica agora a pergunta: Será que os restantes estúdios tomarão uma decisão semelhante?