Hoje o #Short Of The Week traz uma curta-metragem que prova como algo simples pode ser tremendamente eficaz. Falamos da comédia The Black Hole de Olly Williams e Philip Sansom

Como fazer uma curta-metragem numa só localização, com um ator, e sem diálogos? The Black Hole mostra-nos como fazer isso tudo e muito mais com uma boa dose de criatividade e muito engenho.

Ver também: #Short Of The Week #26 – Looms

A história passa-se num escritório onde um homem trabalha sozinho. Logo na entrada da curta o som (que é vital nesta curta) pinta a situação do protagonista como desoladora. De repente a impressora funciona mal e imprime uma folha de papel com um buraco negro. E a partir desta premissa, com uma edição de timing exemplar, várias situações se desenrolam até um final que cai que nem uma luva.

A partir de um cenário que muitos de nós conhecemos e com o qual nos identificamos, somos introduzidos numa espécie de fantasia que nos questiona a cada passo do protagonista e que nos faz rir com as diversas situações. Porém, ao mesmo tempo, faz também pensar sobre como o ser humano é facilmente levado pela ganância.

The Black Hole é ainda hoje em dia estudada por praticamente todos os cineastas do ramo das curtas-metragens, onde se mostra em como as limitações de uma produção podem por vezes se tornar na sua maior força.