Talento, dedicação, entrega e excelentes personagens e(m) filmes magistrais ajudam a definir o percurso realizado pela atriz Natalie Portman.

A atriz israelita, nascida no dia 9 de junho de 1981, na cidade de Jerusalém, começou a sua carreira de atriz com a presença em “Léon, O Profissional”, em 1994. Papel esse que continua a ser um dos melhores da sua carreira. Na altura, deu um impulso gigantesco para aquela que viria a ser uma carreira recheada de sucessos.

Ver também: Subtilezas (Des)Medidas – Os filmes que marcaram a carreira de Harrison Ford
Natalie Portman
Mathilda.

Seguiu-se então uma presença no ano seguinte no filme “Heat – Cidade sob Pressão”. Enveredou, posteriormente, pela ficção científica, com a participação na segunda trilogia da saga “Star Wars” com a personagem Padmé Amidala.

Desde então, Portman tem sabido escolher os seus papéis tendo conseguido excelentes performances, mesmo em filmes não tão conhecidos, como são os casos de Sam em “Garden State”, em 2004, Grace Cahill em “Entre Irmãos”, em 2009, e Lena, em “Aniquilação”, em 2018.

1Mathilda em “Léon, O Profissional” (1994)

Mathilda

Personagem: Uma rapariga de 12 anos começa a viver com um assassino profissional, após a sua família ter sido assassinada. A partir daí começa, pouco a pouco, a interessar-se e a querer conhecer melhor a “profissão” do seu tutor.

Mathilda é uma das melhores personagens jovens já criadas. Todavia, muito se deve á interpretação de Natalie Portman. Embora seja o seu primeiro filme, a atriz revelava já algum engenho e uma tremenda dedicação que deu frutos, e que prometia continuar a dar, como acabou por acontecer.

Apreciado por pessoas de diferentes gerações, “Léon, O Profissional” deve ser encarado como uma peça de arte, que se revela por ser uma história de amor, superação e perseverança.

“This is from Mathilda”. “Isto é da Mathilda”. As últimas palavras de Leon, personagem interpretada por Jean Reno, finalizam assim, de uma forma estonteante, um filme que tem atinge em todas as suas partes, (até nas categorias técnicas), um patamar de excelência. Estas palavras serviram também de inspiração para a banda britânica de rock Alt-J, que lançou em 2012 “Mathilda”. Uma canção dedicada ao filme, mas também à personagem de Portman.

Realizador: Luc Besson