Um Amigo Extraordinário | Uma grande história de amizade e empatia

0
74

“Um Amigo Extraordinário” é um filme baseado na história verídica sobre amizade entre Fred Rogers e o jornalista Tom Junod.

Basta uma pessoa para inspirar um mundo com bondade“.

A frase da Sony Pictures descreve na perfeição este filme, com Tom Hanks, curiosamente num papel secundário. Mas facilmente se confunde como sendo ele o ator principal, devido à todas as  atenções que rouba quando entra em cena.

Um Amigo Extraordinário , com realização de Marielle Heller (“Memórias de uma Falsificadora Literária”), conta-nos a história de Lloyd Vogel (interpretado por Matthew Rhys) e de como conheceu Mr. Rogers. Lloyd, vagamente baseado no jornalista Tom Junod, é enviado para entrevistar Fred Rogers. No entanto, Lloyd não entende a prespectiva de vida de Rogers, tão calmo e carinhoso com toda a gente.

Ver também: Memórias De Uma Falsificadora Literária | McCarthy como nunca vimos
Hanks, no papel de Rogers, é um fit perfeito… Ele tem dificuldades em acreditar que a amabilidade de Rogers é real e que ele é realmente assim – talvez por Lloyd ter alguns problemas familiares. O pai de Lloyd, Jerry (aqui interpretado por Chris Copper), abandonou-o mal a mãe faleceu. Isto é uma cicatriz que Lloyd leva para a vida toda. Lloyd é casado com Andrea (Susan Kelechi Watson), uma esposa que enfrenta agora o desafio da maternidade, aparentemente com pouca ou nenhuma ajuda da parte de Lloyd.

Tecnicamente, este filme não é nenhum filme biográfico sobre Rogers, visto que ele é a personagem secundária. Apenas temos breves cenas do seu programa “Mister Rogers’ Neighborhood“, ficando muito da sua vida por explorar. O objetivo do filme (que por vezes até nos esquecemos) é explorar a relação pai e filho entre Lloyd e Jerry e do crescimento de Lloyd como pessoa e como pai… Graças a Rogers.

Ver também: Judy | Zellweger brilha na pele de uma personagem da Fábrica Hollywood

Hanks, no papel de Rogers, é um fit perfeito. O verdadeiro Fred Rogers tinha uma tranquilidade única, que Hanks conseguiu transmitir muito bem durante a maior parte do filme. Foi uma transformação muito grande para Hanks, que até o próprio tom de voz mudou. Excluindo a cena das marionetes, onde Hanks mostra um Rogers demasiado infantil, acho que qualquer pessoa que tenha acompanhado o programa consiga novamente ver o apresentador neste filme.

A cena do metro é genial e, surpreendentemente, aconteceu mesmo. Rogers foi a Nova Iorque e chovia imenso. Como não tinha guarda-chuva e não conseguiu encontrar um táxi, foi para a estação e apanhou um metro. Era já final do dia, consequentemente, várias crianças que vinham da escola para casa, estavam no metro aquela hora.

Um Amigo Extraordinário tenta inspirar as pessoas a serem o melhor que conseguirem…

Nenhuma criança se aproximou de Rogers ou pediu-lhe um autógrafo. A única coisa que fizeram foi cantar a música do programa dele, “Won’t you be my neighbor?”, todas em coro. É uma cena bastante comovente no filme, que nos mostra a bondade de Rogers a passar do ecrã para a vida das pessoas.

Mas também tem a sua lição de aceitação e perdão. Fred Rogers foi uma inspiração e filmes destes trazem de volta um pouco da sua sabedoria, de como todos nós precisamos de certas lições em certos momentos da vida…

Um Amigo Extraordinário foi nomeado para um Óscar, na categoria de Melhor Ator Secundário. Esta é a sexta nomeação de Hanks, sendo que a última foi em 2001. Hanks já ganhou dois Oscares (Forrest Gump e Filadélfia).

“Um Amigo Extraordinário” chega muito em breve aos videoclubes. “Memórias de uma Falsificadora Literária” encontra-se nos Canais TVCine.