“O Único e Incomparável Ivan” | Gorila com coração

Com inspiração numa história verídica, “O Único e Incomparável Ivan” era suposto ter estreado nas salas de cinema, mas, devido à pandemia, podemos ver no conforto da nossa sala.

Este ano apático não colabora com ninguém. Entre quarentena e distanciamento social, são largas as horas que passamos em casa.

Bem-amados sejam os canais de streaming que têm vindo a transformar o que poderia ser um tremendo tédio em horas e horas de entretenimento. 

E esta segunda semana de Setembro abrimos os braços para mais um streaming tão esperado – Disney+ está finalmente disponível em território português para coçar a nossa nostalgia e fazer-nos sentir crianças outra vez.

Com um bom catálogo ao nosso dispor, muitas são as opções para visualização sem fim. Entre séries de animação antigas, filmes de super-heróis, deambulações por meios selvagens ou viagens para uma galáxia muito, muito distante. Conseguimos encontrar quase de tudo neste Disney+, sem nunca descurar os conteúdos originais da plataforma. 

E é um destes conteúdos originais que vos venho falar hoje. Tendo sendo visto, no início deste ano, como uma das apostas para Disney para o certame do grande ecrã, a pandemia não perdoa ninguém e a casa do Mickey teve de colocar “O Único e Incomparável Ivan” para o espectador ver no conforto do seu sofá. 

Baseado na obra de K.A. Applegate e inspirado numa história verídica, “O Único e Incomparável Ivan” conta-nos a história de um gorila que viveu grande parte da sua vida como a estrela de um circo de centro comercial gerido por Mack (Bryan Cranston). Com o surgimento de uma nova atração na elefante bebé Ruby (Brooklynn Prince), Ivan (Sam Rockwell) verá que existe mais vida para além daquelas quatro paredes e irá desejar voltar ao seu habitat natural. 

A história de “O Único e Incomparável Ivan” é totalmente previsível. Até mesmo para quem não leu o livro ou não esteja familiarizado com a história verídica consegue compreender o rumo da mesma logo desde o início. Mas esta previsibilidade não chega a deteriorar o encanto da sua execução. 

Este é um filme doce, povoado por personagens adoráveis e tão simples que é impossível não nos colocarem um sorriso na cara. Acompanhados por efeitos visuais invejáveis e um elenco soberbo a dar voz aos animais, tudo funciona na perfeição para criar uma magia credível. E a cola que junta as peças todas é o camaleónico Bryan Cranston, que tem aqui mais uma performance tão natural como diferente, sendo pedido vários níveis de performance tão subtis que poucos irão reconhecer o forte trabalho que o actor oferece neste papel.

A realização de Thea Sharrock não se preza por ter uma voz muito singular nem por ter momentos marcantes no seu filme. Porém, todo o guiado de forma competente, revelando que Sharrock pode muito bem vir a tornar-se numa realizadora promissora daqui a uns anos. 

Ver também: Sempre o Diabo | Uma mão cheia de histórias violentas

 

Apesar de ter momentos em que o humor não resulta – especialmente para um adulto – a verdade é que o argumento a cabo de Mike White consegue retirar alguns sorrisos ao espectador, independentemente da sua idade. Porém, é no próprio argumento que reside uma das suas maiores forças e fraquezas, ao mesmo tempo. 

“O Único e Incomparável Ivan” destaca-se claramente da maioria das histórias a serem contadas por não ter um vilão. Todas as personagens presentes no filme tem a bússola moral a apontar para Norte. Têm defeitos, certamente, mas não são os maus da fita. E isto é incrivelmente refrescante. Porém, também apresenta um grande obstáculo para o desenvolvimento da narrativa. 

Nos momentos iniciais, o filme não consegue bem fazer-se perceber afinal qual a história que pretende contar. Começa como uma pequena história de competição entre uma estrela consagrada a ver-se  a ser suplantada por uma estrela em ascensão, para depois, numa questão de minutos, querer contar a história de animais que querem voltar a serem livres na Natureza. 

A mudança de engrenagens é ligeiramente brusca, não existindo tempo suficiente para explorar por inteiro nenhuma das histórias nem as motivações de cada personagem. E, como não existem vilões, o próprio espectador não terá a urgência de apoiar emocionalmente nenhuma das histórias. Porém, o foco do filme reside em passar uma mensagem simples, positiva e ambientalista para o público e, de facto, consegue fazê-lo facilmente.

“O Único e Incomparável Ivan” é, claramente, um filme que tem maior intuito de agradar ao público mais jovem. Apesar de não reinventar a roda, é inegável que encantará qualquer espectador logo nos primeiros minutos.

Já disponível na Disney+.