Vendeta – Vingança em Corda Bamba

"Vendeta" pretende criar uma reacção da parte do espectador, seja ela qual for, e, de um modo geral, consegue cumprir esse objectivo.  Não é de facto um filme para toda a gente, mas se for com a intenção certa de desfrutar de um filme bruto e exacerbado quase que ao extremo, então este será certamente um que não pode perder

“Vendeta” é a resposta chocante e sangrenta da realizadora francesa Coralie Fargeat à situação de menosprezo feminino existente na sociedade actual.

Vendeta, a primeira longa-metragem da realizadora francesa, relata a história de Jennifer (Matilda Lutz), uma jovem sedutora que irá passar uns dias com o seu amante Richard (Kevin Janssens) a uma casa de férias no meio do deserto. O casal recebe mais tarde a visita de dois amigos de Richard, o que irá colocar a vida da jovem num caminho mais negro. Jennifer é então violada e vítima de tentativa de homicídio, à qual a jovem sobrevive e empreende uma jornada de vingança contra os homens que a magoaram.

Publicidade

Vendeta

Vendeta é um filme intenso, sangrento e cru. Não tem medo nem restrições, seja no campo sexual ou no campo da violência. É ambicioso na forma como pretende prender o espectador e despertar os seus sensores visuais e auditivos para o fazer arrepiar e saltar da cadeira. Tudo isto é possível através de uma belíssima fotografia, recheada de fortes imagens e intensas sequências de ação, e de uma montagem sonora cativante e desconcertante, que não conseguirá deixar ninguém indiferente.

A própria Coralie Fargeat afirmou, em várias entrevistas, que a sua intenção foi a de criar um filme de entretenimento, sangrento, que fosse um género de tributo a filmes que ela adora. E esta paixão é visível na forma como realiza e em pormenores do seu próprio argumento. Existem metáforas e alegorias presentes ao longo do filme, seja a forma como ao início apresenta a beleza da protagonista de uma forma estereotipada, ou a alegoria da maçã do pecado, ou o mito do renascer da fénix em comparação com o renascimento da protagonista. Tudo isto eleva uma história simples e direta de vingança a um nível de maior detalhe e algum requinte.

Vendeta

Porém, existe uma linha humorística e um sentido de exagero na forma como tudo isto é transposto para o ecrã. É nesta linha que o filme anda sobre uma corda bamba e conseguirá prender o espectador ou perdê-lo.

O filme em si não é suposto ser levado a sério. É suposto ser 100 minutos de entretenimento, que necessita que o público bloqueie o seu sentido de realidade e encare o filme de uma forma divertida e não como se o mesmo fosse um drama histórico/biográfico. Isto é visível nas representações exageradas dos atores, especialmente da parte de Vincent Colombe que representa um dos amigos do protagonista; Ou até na quantidade de sangue desmarcada que foi gasto para se fazer o filme.

Vendeta

Vendeta é um filme de vingança intenso e de entretenimento, que está editado e realizado de uma forma única e pouco comum para o que o público está habituado. A realizadora Coralie Fargeat pretende criar uma reação da parte do espectador, seja ela qual for. E, de um modo geral, consegue cumprir esse objetivo. Não é de facto um filme para toda a gente, mas se for com a intenção certa de desfrutar de um filme bruto e exacerbado quase que ao extremo, então este será certamente um que não pode perder.