More

    10 Filmes de Stanley Kubrick que contribuíram para a evolução Cinema

    Os filmes de Stanley Kubrick contribuíram muito para o desenvolvimento e enriquecimento da 7ª Arte, é talvez um dos realizadores mais desprezados e incompreendidos do mundo do cinema.

    Conhece os melhores filmes de Stanley Kubrick

    Neste artigo vais poder encontrar matéria sobre os seguintes filmes:

    Stanley Kubrick tinha uma reputação e modo de trabalho controversos. Não obstante, as as suas obras permanecem hoje como algumas das mais influentes da indústria. A equipa do Cinema Pla’net decidiu hoje compor uma lista de filmes de Stanley Kubrick.. provavelmente os melhores trabalhos do realizador.

    Nesta lista fantástica, vais conhecer os melhores filmes de Stanley Kubrick

    Um Roubo no Hipódromo (1956)

    Stanley Kubrick

    Depois de filmes apenas regulares como Medo e Desejo e O Beijo Assassino, Kubrick revela a sua vontade de estrututar histórias mais competentes, desafiadoras e com um twist final. Um Roubo no Hipódromo, mesmo não passando de um thriller de crime que ainda pensa dentro da caixa, é um bom filme desconhecido pelos cinéfilos mais sedentos pelas origens e inspirações do realizador.

    Horizontes de Glória (1957)

    Stanley Kubrick

    Certamente este será o filme de guerra mais injustificavelmente desconhecido de todos. Para além de um Kirk Douglas furiosamente inspirado, uma espetacular cena nas trincheiras e um ritmo deliciosamente lento, Horizontes de Glória é um negro e inesquecível comentário político denunciante da guerra, dos seus estragos e o comportamento imoral dos oficiais que tratam os seus soldados como bonecos substituíveis. Foi apenas com 29 anos que o Kubrick mostrou aquilo que valia.

    De Olhos Bem Fechados (1999)

    Stanley Kubrick

    Já com 70 anos e após uma pausa de 12 do seu último projeto, Kubrick mostrava-se ainda firme, inspirado, ambicioso… Talvez até mais que nunca. O ”Eyes Wide Shut” foi o filme que o próprio mais gostou de fazer e não é difícil perceber porquê. Quando se tem um Tom Cruise e uma Nicole Kidman no auge das suas carreiras, com um guião provocador, revisionista e fascinantemente desafiador e reflexivo, é difícil ficar indiferente perante esta maravilhosa obra sobre sexo, relações, ciúmes, inveja, obsessão, falsas aparências da sociedade e cultos religiosos. Toda esta rica temática mergulhada numa belíssima direção artística e uma banda sonora bizarra, sombria, que ainda hoje assusta. É impossível resistir!

    Lolita (1962)

    Stanley Kubrick

    Algo que ficou bastante cedo esclarecido no seu trabalho, foi a facilidade incompreensível do Kubrick de originar empatia e um revoltante senso de jornada com o protagonista de uma história que nada mais é que o personagem mais desprezível da mesma. Acompanhamos avidamente um homem de meia-idade que desenvolve um fascínio doente e incómodo por uma jovem de 16 anos. Igualmente desequilibrada por sinal. É impossível nos sentirmos bem connosco próprios enquanto apoiamos estas duas personagens. Muito bem, Mestre Kubrick!

    Dr. Estranho Amor (1964)

    Stanley Kubrick

    O que se pode querer mais de uma sátira negra composta por um realizador provocador, um Peter Sellers a desempenhar três papéis hilariantes e um comentário político que relaciona problemas sexuais com a natureza dos conflitos da Guerra Fria? Sim, leram bem. Melhor e mais engraçado que isto é impossível! É uma daquelas comédias raras e incompreendidas que demoram décadas para se consagrar como uma das mais importantes histórias sobre os conflitos de guerra. Enquanto alguns realizadores atuais optariam por um comentário mais “clean”, conservador e “socialmente importante”, Kubrick vai mais longe e demonstra o quão poderosamente cómico pode ser o cinismo, enquanto uma corrente filosófica, atenção. Deleitem-se e riam-se!

    Spartacus (1960)

    Spartacus de Stanley Kubrick

    Podemos agradecer mais uma vez ao génio Kubrick pela sua contribuição de peso a mais um género cinematográfico que hoje, infelizmente, já não é devidamente apreciado. Cinéfilos, querem assistir a um bom e verdadeiramente grandioso e romântico épico? Vejam Spartacus imediatamente! Apesar das suas 3 horas, que passam a voar por sinal, é uma fascinante viagem à Roma Antiga que denuncia a escravidão e a ditadura, vista pelos olhos de um homem comum que se tornou num símbolo inspirador e quase mitológico de revolta coletiva, luta pela liberdade e dignidade humana, coragem e valores morais e políticos.

    Nascido Para Matar (1987)

    fullmetaljacketbdcap5 original

    O Século XX está cheio de excelentes filmes de guerra. Nascido Para Matar, tal como muitos outros do género, é um espetáculo visual de destruição e carnificina. Um retrato violentamente realista do processo desumanizante que é a formação militar na América, que pode ter efeitos tão pesados para os soldados como a própria guerra. Kubrick mostrou-se, mais uma vez, ambicioso, corajosos e compromissado. A filosofia dos personagens, como o Soldado Joker, e da trama em si, conduz-se pelas cenas de ação que jamais ficam cansativas. Cada uma supera a anterior. Os bons filmes de guerra americanos são aqueles que recebem olhares de lado do conservadorismo da Academia. Pode-se afirmar sem margem para dúvidas que Nascido Para Matar é um deles.

    2001: Odisseia no Espaço (1968)

    3698169502 82e14ca6ab b

    O que dizer agora? 2001: Odisseia no Espaço é um filme … daqueles. É a perfeita definição de uma história existencialista e aquilo que a ficção científica deve ser: provocadora, reflexiva e importante. Se não fosse os seus (raros) momentos arrastados, esta seria uma obra indiscutivelmente perfeita. Mas no meio de tanta perfeição já alcançada na fotografia viva e desnorteante, na simetria dos planos, na simbologia, na discussão sobre a inteligência artificial, sobre a Humanidade, a sua evolução, a sua existência, o seu fim, o seu futuro renascimento e a sua natureza violenta, é impossível não ficar fascinando com este filme. Eu sei, o filme é dos Anos 60. Mas se o ignorarem apenas por essa razão, perdem uma das melhores experiências da vossa vida.

    The Shining (1980)

    55893 articleimage original

    Quando o Cinema Pla’net elaborar um Top 10 dos Melhores Filmes de Terror que lidam com fenómenos fantasmagóricos, The Shining certamente estará no primeiro lugar. No entanto, desenganem-se se acham que esta espetacular viagem aterrorizante não passa de um bom conjunto de jumpscares e imagens feias. O sucesso, dúvida e fan base que The Shining gerou desde a sua estreia não se capitalizou só no documentário Room 237, que estuda todas as suas inúmeras teorias.

    No fundo, é um estudo fascinante que relaciona os ciclos de violência da Humanidade com a História Americana, mais especificamente o desrespeito à cultura dos nativo-americanos, que relata também distúrbios familiares, espectrologia, reencarnação e a facilidade com que uma pessoa endoidece quando isolada num espaço frio e distante da civilização. Com uma temática narrativa riquíssima, interpretações monstruosamente perturbadoras lideradas por um Jack Nicholson possuído, um trabalho de câmara sensacional e uma música estridente e arrepiante, filmes de terror não ficam melhores que isto.

    04Laranja Mecânica (1971)

    a clockwork orange

    Dramas distópicos sociais e políticos são uma delícia! O Stanley Kubrick era estupidamente ambicioso e perfecionista. Escusado será dizer isto, basta apenas ver alguns dos seus filmes mais conhecidos. Com Laranja Mecânica, para além de chegar ao seu auge autoral, compôs aquele que é um dos filmes mais injustiçados nos Óscares. No entanto, provou que, contra toda a controvérsia na Inglaterra e na América e todo o desprezo que críticos como Roger Ebert manisfestaram, foi-lhe possível estabelecer-se como um dos melhores realizadores de todos os tempos.

    Laranja Mecânica tem tudo o que cinéfilos podem querer: Um protagonista violentamente carismático, elegante e desumano; Música deliciosa; Um trabalho de câmara simbólico como nenhum outro; Cenas que ficam na memória para sempre; Um excelente comentário social sobre juventude, crime, justiça, a natureza humana e livre-arbítrio. Envolto em uma imagem sofisticada, divertida, cínica, psicadélica e perturbadora. Pode ser interpretada como a visão real de um pesadelo ou como um futuro inevitavelmente próximo. Por estas e muitas outras, consideramos Laranja Mecânica o melhor filme do Mestre Stanley Kubrick!

    Francisco Quintas
    Francisco Quintashttp://vidadeumcinefilo.blogs.sapo.pt/
    Amante compulsivo de cinema, clássico e moderno. Sintra, 18 anos, estudante na Área de Economia. Colaborador com o Cinema Pla'net desde Novembro de 2017.

    Queres estar a par de todas as novidades? Calma!

    Prometemos que não te vamos chatear a toda a hora. Garantimos que te vamos enviar conteúdo de qualidade.

    Últimos Artigos

    Artigos Relacionados