Foram descobertos em Londres três rascunhos para desenvolvimento de argumentos de Stanley Kubrick nunca antes vistos, agora que passam 20 anos sobre a morte do realizador e o seu último filme.

O trabalho de Kubrick mantém-se hoje tão intrigante como quando o realizador se encontrava vivo e as suas obras e ideias continuam a suscitar o interesse e a curiosidade dos cinéfilos.

Kubrick

A carreira do realizador inclui obras-primas como o seu primeiro clássico sobre a Primeira Grande Guerra, “Horizontes de Glória”, um dos mais poderosos filmes anti-guerra, e o seu épico de Roma, “Spartacus”, ambos protagonizados por Kirk Douglas. As fronteiras da ficção científica seriam completamente subvertidas com “2001: Odisseia no Espaço” e muito mais haveria para falar, estes são apenas exemplos.

Segundo informação exclusiva veiculada pelo jornal The Guardian, foram encontradas ideias para 3 trabalhos que datam dos anos 50, a altura em que o realizador se encontrava com problemas conjugais com a mulher.

Reverenciado como um dos grandes mestres do cinema e como artista visual, Stanley Kubrick fez apenas 13 filmes na sua carreira.  Agora, foram encontradas ideias para 3 anteriormente desconhecidos argumentos em que o realizador se encontrava a trabalhar.

Datados de entre 1954 e 1956, focam-se em temas como o casamento, os ciúmes e o adultério de modo recorrente, o que faz com que seja lançado o paralelo para a sua própria vida conjugal na altura e os problemas com a mulher, a atriz e bailarina Ruth Sobotka.

Um dos argumentos intitula-se “Married Man” e é composto por 35 páginas de texto escrito à máquina com anotações à mão e uma sequência de páginas escritas exclusivamente à mão, com notas muitas vezes desordenadas.

Existe um segundo conjunto de ideias com o título “The Perfect Marriage” e é composto por 7 páginas de cenas e notas escritas à mão ao longo do texto.

Vê também: Consegues imaginar como seria o Instagram de Stanley Kubrick?

Um terceiro conjunto de ideias tem por título “Jealousy” é composto por 13 páginas de texto escrito à máquina e material escrito à mão para uma história sobre ressentimento entre um casal de marido e mulher.

O material foi recentemente transferido para o arquivo Kubrick na Universidade das Artes de Londres. Nathan Abrams, professor de Estudos Fílmicos na Universidade de Bangor e um perito em Kubrick, declarou-se muito satisfeito pelo novo material:

“Há uma quantidade enorme de material novo que não sabíamos que ele tinha produzido. Estava tudo previamente em sua casa, agora transferido pelos seus herdeiros. Estes são projetos que Kubrick queria concretizar, mas não o fez. Não encontrei referências a estes [textos] em nada do que tenha lido anteriormente”

Nos textos agora encontrados, algumas das ideias acabariam por ser utilizadas em “De Olhos Bem Fechados”, 40 anos depois, nomeadamente na ideia na mulher que se prepara para um festa de Natal, no marido deprimido e nas questões de casamento, fidelidade e traição.

Kubrick

Kubrick, um norte-americano que viveu a maior parte da sua vida no Reino Unido, acabaria por falecer em 1999, pouco depois de completar “De Olhos Bem Fechados”, o controverso filme com Tom Cruise e Nicole Kidman.

Nathan Abrams mostrou-se ainda frustrado que tanto material tenha emergido pouco depois de ter terminado o seu próximo livro, precisamente sobre o último filme de Kubrick, escrito em co-autoria com Robert Kolker e publicado pela Universidade de Oxford no final deste mês como forma de comemorar os 20 anos do filme.