A 8.ª edição do Córtex – Festival de Curtas Metragens de Sintra começa em abril e conta com novidades.

2018 é um ano bastante importante para o Córtex – Festival de Curtas Metragens de Sintra. A edição deste ano sofreu bastantes mudanças relativamente a anos anteriores.

Ver também: Conhece os vencedores da 68º edição do Festival de Berlim

Ao contrário das anteriores edições, o Córtex passa a ter oito dias de programa, mais quatro do que anteriormente. Também na sessão deste ano, o festival vai estrear pela primeira vez uma longa metragem a nível nacional.

O filme em exibição vai ser o polémico “Safari”, do realizador austríaco Ulrich Seidl. A estreia vai ser acolhida pelo Cinema Ideal, que se juntou ao Festival Córtex, e que estende a sua programação ao concelho de Lisboa.

Além da exibição de “Safari”, o Cinema Ideal vai exibir, de 12 a 18 de abril, um programa com especial atenção para uma retrospetiva dos primeiros trabalhos de Seidl. Esta programação dedicada a Ulrich Seidl contará também com a exibição das suas primeiras curtas metragens, e que será uma estreia absoluta. Serão exibidas ainda algumas das melhores curtas-metragens nacionais e que estiveram em exibição nas últimas edições.

Cartaz da edição de 2018 do Córtex.
Cartaz da edição de 2018 do Córtex.

Como é habitual, o Centro Cultural Olga Cadaval vai ser o palco principal da programação do festival. Vai ser também em Sintra que se realizarão as sessões de competição nacional e internacional, à semelhança dos anos anteriores.

Outra das novidades, é a criação de uma secção de curtas-metragens que tem como objetivo unir miúdos e graúdos. Ao invés da separação destes dois grupos, como é habitual, foi criada uma secção com programação que vai juntar os mais novos e os mais velhos. Sendo assim, às secções Minicortex e Hemisfério, junta-se a Frontal.

A secção Frontal é uma das principais novidades deste ano.

A Frontal tem como objetivo derrubar o obstáculo de separar os mais velhos dos mais novos e assim, usar o cinema como motor. Para tal, foi preparada uma seleção de curtas-metragens que comunicam isso mesmo. A intenção do festival passa por unir diversas gerações e descobrir o que as une, em vez de acentuar o que as separa. Dessa forma, vão dar a conhecer as realidades das duas gerações. A secção Hemisfério será dedicada ao Vienna Shorts, festival de curtas-metragens de Viena, fazendo mais uma vez a ligação ao realizador homenageado no Córtex.

O Museu de Artes de Sintra será uma vez mais palco da programação paralela do festival. Nele vão decorrer concertos na sexta-feira e no sábado.

O objetivo do festival é ser uma plataforma de exposição do formato de curta-metragem. Segundo afirmam os diretores do festival, Michel Simeão e José Chaíça:

Este ano, tornamos a curta maior do que nunca, dignificando e promovendo o incrível trabalho realizado dentro e fora de Portugal.

O Festival Córtex abre portas a 11 de abril e encerra no dia 18.