Greenhouse Academy | 4 temporadas de um colégio diferente

“Greenhouse Academy” é uma série adolescente lançada pela Netflix, baseada na série de televisão israelita “The Greenhouse” (“Ha-Hamama”).

Criada originalmente por Giora Chamizer foi adaptada para o público internacional por Paula Yoo (“Supergirl”) e Janae Bakken (“Scrubs”).

“Greenhouse Academy” passa-se num colégio onde existem duas turmas inimigas, os Eagles e os Ravens, que fazem de tudo para se superar uma à outra, mas que depois de descobrirem um plano maléfico para ganhar dinheiro vão se unir e tentar travar esse plano.

Publicidade

ALERTA: Análise com SPOILERS

A primeira temporada passa-se 8 meses após os irmãos Wood, Hayley (Ariel Mortman) e Alex (Finn Roberts) terem perdido a sua mãe, o pai ter saído da polícia e ambos terem entrado para um colégio de elite. Nesta temporada os irmãos vão tentar descobrir o que verdadeiramente aconteceu com a mãe deles, através de uma associação dentro do próprio colégio, que ganha dinheiro de uma forma não muito convencional e claro vão entrar em vários amores e desamores.

Esta temporada tem algumas coisas mal explicadas como o facto de o dono do colégio estar envolvido em tudo o que acontece e achar por bem chamar Hayley para o colégio sendo que ela farta-se de o criticar. Outra coisa estranha é ela aceitar, fica lá meia dúzia de dias e ir embora dando uma desculpa esfarrapada e passado outra meia dúzia de dias volta para o colégio. Muito mal explicado não acham?

Na segunda temporada uma nova personagem chamada Aspen (Reina Hardesty) vai pôr à prova o amor de um casal do colégio e alguns alunos vão tomar decisões erradas que podem pôr em causa o bom nome de Greenhouse Academy. Ainda nesta temporada Max (Benjamim Papac) e Jackie (Jessica Amlee) vão atrás de pistas para descobrir o paradeiro de uma aluna que desapareceu do colégio e finalmente os irmãos Wood descobrem o que aconteceu com a mãe deles, sendo desmantelada a associação angariadora pouco convencional.

Nesta segunda toma eu destacaria a Judy (Nadine Ellis), a mãe de Daniel (Chris O’Neal), e a maneira como ela consegue manipular a antiga namorada do filho, de modo a torná-la uma aliada e não uma inimiga e fazendo até que ela volte para Daniel.

A terceira temporada vai-se focar essencialmente no diretor do colégio, Louis (Parker Stevenson), que depois de ver o lugar em que o colégio ficou posicionado no ranking, organiza uma caminhada entre as duas turmas, com várias armadilhas que vão voltar a pôr ambas as turmas uma contra a outra pois, o diretor pensa que o facto do colégio ter ficado mal posicionado se deva ao facto das turmas se terem tornado amigas, mas esta caminhada tem tudo para correr mal. Ainda nesta temporada as duas turmas voltam-se a unir para irem em busca de um minério valioso.

Na minha opinião esta temporada quase nada acrescenta, só mesmo algumas mudanças na direção do colégio e o facto das duas turmas se voltarem a unir para irem atrás de um minério. Por isso, acho-a um pouco desnecessária, mas não significa que tenha sido necessariamente má.

Na quarta e última temporada as duas turmas conseguem encontrar o tal minério valioso, só que ele acaba por ser roubado e acaba por ser utlizado como um vírus e as duas turmas vão precisar urgentemente de descobrir onde esse minério se encontra para o vírus não se propagar e quem está por de trás do roubo.

Há que admitir que o final é um pouco confuso, porque não consegui perceber se quem dava as ordens e quem as executava era a mesma personagem ou se eram personagens diferentes, daí ser necessário uma quinta temporada para explicar isso, coisa que infelizmente não vai acontecer.

Ver também: 2 em 1 | “The End of the F***ing World” vs “I Am Not Okay with This”

Esta foi a primeira série teen que vi e admito que me conseguiu surpreender bastante pela positiva, pois pensei que seria tipo “Morangos com Açúcar”, mas não resisti ao ver o trailer e pode dizer-se que foi “amor à primeira vista”, no próprio dia comecei e acabei a primeira temporada.

Em “Greenhouse Academy” o que me conseguiu chamar mais à atenção foi o facto do colégio onde a trama se passa não ser um colégio como os outros, pois em vez de se apelar à união entre turmas, apela-se à rivalidade e à competitividade. Para além de que os temas abordados são bastante originais, desde explosões de naves espaciais à maneira como conseguem ganhar dinheiro e até na parte final quando um vírus foi criado através de um minério.

Por fim, agradou-me o facto dos episódios serem curtos, o que considero bastante positivo para ‘séries de binge-watch’, pois é o tipo de série em que quantos mais episódios vês mais queres ver e quando dás por ela já acabou e tens de ir à procura de outra para colmatares a ausência desta série na tua vida. Eu ainda demorei algum tempo a conseguir encontrar uma série que conseguisse colmatar a ausência de “Greenhouse Academy” mas lá consegui e com isso podem ler a minha opinião sobre “On My Block” 😉

Ver também: On My Block | Uma série de comédia Netflix que merece mais buzz

“Greenhouse Academy” é constituída por 4 temporadas num total de 40 episódios de cerca de 20 minutos. Em julho de 2020, a Netflix anunciou o cancelamento desta série ao fim das 4 temporadas.