Críticas Críticas de Televisão Destaques

Operação Maré Negra | Quem tudo quer…

  • Fevereiro 26, 2022
  • 3 min read
Operação Maré Negra | Quem tudo quer…

Estreia dia 25, em exclusivo, a primeira colaboração luso-espanhola para a Amazon Prime Video: Operação Maré Negra.

História de Operação Maré Negra

Operação Maré Negra é uma mini-série de quatro episódios que se baseiam numa história real.

Acompanhamos Fernando (Álex González), ou Nando como gosta de ser chamado, um jovem pugilista galego. Nando vive com o seu avô e ajuda-o a pescar na sua pequena embarcação. Uma família pobre, mas humilde.

No boxe, o jovem vê oportunidade para descarregar a raiva nos adversários, e poderia ter uma carreira promissora no desporto… se fosse mais novo.

Apesar de ajudar o seu avô e de vencer alguns combates em Espanha, Nando não tem dinheiro. Esse fator leva-o a encontrar-se com pessoas que o desviam para caminhos muito perigosos.

Juntamente com um brasileiro e um colombiano, Nando tem a missão de transportar 100 milhões de euros em cocaína, desde o Brasil até aos Açores, num semi-submersível.

Acompanhamos a viagem atribulada, desde tempestades a avarias e discussões, que os três fazem, em busca de dinheiro para poderem ter uma vida melhor. Mas a que custo? Essa é a principal questão que esta mini-série nos propõe a fazer. Além disso vemos também a operação policial que se monta em torno deste transporte. Operação essa que envolve a Guarda Civil espanhola e a Polícia Judiciária portuguesa.

Bom elenco, cenas de ação irrealistas

operacao mare negra

O elenco da mini-série é curto. Vemos os protagonistas, os três tripulantes do semi-submersível, alguns agentes da Operação policial e outros elementos que pouco acrescentam à história.

Ainda assim, é um bom elenco, com boas interpretações, no que à representação diz respeito. Álex González consegue transmitir a tensão que a sua personagem cria com as restantes, Nuno Melo transmite bem o medo (ainda que por vezes seja algo exagerado), Lúcia Moniz é igual a ela própria. A sua personagem é importante, mas acaba por não aparecer muito tempo no decorrer da mini-série, o que faz com que não se consiga expressar muito.

As cenas de luta são bem coreografadas. Os combates de boxe são bem filmados, transmitindo a emoção e a adrenalina. Mas ficamos por aqui. Quando se trata de tiroteios e outras cenas de ação, é pobre. Não no sentido de serem poucas, mas no sentido de não parecerem reais, não temos emoção nem tensão, mesmo a nível de filmagem deixa a desejar.

Por fim, é uma típica série sobre o mundo da droga, com o ponto positivo de ser baseado em história real. O protagonista consegue criar empatia com o espectador e a série tem ainda uma ou outra surpresa. É o suficiente para ser cativante, mas não faz mais do que isso.

About Author

Francisco Amaral

Apaixonado por videojogos e tudo o que tenha narrativa, é fácil encontrarem-me a ver a saga Star Wars (como deve ser) ou a escrutinar tudo o que há para saber sobre Marvel. Ler é também outro dos universos onde mergulho muitas vezes.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *