Até os realizadores mais apreciadores de doses chocantes de violência (realista ou cartoonesca) não são imunes aos mais perturbadores filmes de terror.

O realizador americano Quentin Tarantino (“Pulp Fiction”), depois de ser convidado pelo amigo realizador italiano Luca Guadagnino (“Chama-me Pelo Teu Nome”) a assistir o seu mais recente trabalho, “Suspiria”, o remake do clássico homónimo de 1977, acabou amedrontado, perturbado e entristecido.

Suspiria
O realizador italiano, Luca Guadagnino, nas filmagens de “Suspiria”

Tal como quem presenciou o visionamento do filme de terror italiano na CinemaConTarantino sentiu-se na necessidade de evitar olhar e de (quase) sair a meio. Como se já não bastasse, a protagonista, a americana Dakota Johnson confirmou à imprensa que precisou de terapia depois da produção. Especula-se que “Suspiria” pode ser demais para o público.

Numa entrevista ao jornal italiano La Repubblica, Guadagnino confirma que Tarantino teve uma reação extremamente emocional ao filme… Mas também que o adorou:

Eu mostrei-o ao Quentin Tarantino. Somos amigos desde que fomos júris no Festival de Veneza. Eu estava nervoso, mas queria ouvir os seus conselhos. Vimos o filme na casa dele e a sua reação preocupou-me. Ele estava entusiasmado, mas no fim estava a chorar e abraçou-me. Pois é um filme de terror, mas também um melodrama. O meu objetivo era fazer o público olhar para o horror sem conseguir tirar os olhos do ecrã, por se estar tão cativado pelos personagens. A Amazon está muito contente.

Concluindo, quem estava cético acerca de um remake do clássico do Dario Argento, pode ser muito surpreendido no futuro. Na verdade, enquanto a Dakota Johnson precisou de terapia depois das filmagens, a colega Chloë Grace Moretz afirma que nunca viu uma obra moderna que lhe fizesse lembrar tanto o trabalho do Stanley Kubrick. Acrescentou igualmente que é um filme único e diferente de tudo o que já viu.

Ver Também: Remake de “Chucky, o Boneco Diabólico” está a ser preparado
Suspiria
A atriz americana, Dakota Johnson, em “Suspiria”

Dario Argento revolucionou o género cinematográfico italiano do Giallo com um dos seus mais reconhecíveis trabalhos, “Suspiria”, em 1977. O Giallo mais tarde daria origem ao Slasher americano e a inúmeros personagens clássicos como Michael MyersFreddy Krueger. O Giallo é, portanto, um dos pilares do género do terror.

O mais recente remake foi escrito por David Kajganich (“The Terror”). Conta com Dakota Johnson, Tilda Swinton e Chloë Grace Moretz no elenco e conta a história de uma empresa de dança de renome mundial que fica sujeita a uma presença, uma escuridão inesperada, na qual os seus membros devem evitar sucumbir. Chega à América no dia 2 de novembro, sem ainda alguma data de lançamento em Itália ou em Portugal.