DestaquesEntrevistasExclusivosLet's TalkTelevisãoLet’s Talk #56 – Juliana Harkavy, voz de canário

No Verão de 2018 estive presente na convenção Heroes&Villains onde apareceram imensos convidados de várias séries de TV que adoramos ver num belo Sábado á tarde. Eu tive o prazer de me sentar com a actriz Juliana Harkavy para falarmos sobre o seu papel na série Arrow onde interpreta Dinah Drake, a nova Canário Negro. Apesar de estar a sofrer com dores de cabeça a actriz não quis adiar a nossa entrevista e quando entrou na sala pediu-me imensas desculpas pela demora mas que estava preparada para as perguntas! 
Maria Lima Maria LimaFev 9, 201913 min

No verão de 2018 estive presente na convenção Heroes&Villains onde apareceram imensos convidados de várias séries de TV que adoramos ver, num belo sábado à tarde. Eu tive o prazer de me sentar com a atriz Juliana Harkavy para falarmos sobre o seu papel na série Arrow onde interpreta Dinah Drake, a nova Canário Negro. Apesar de estar a sofrer com dores de cabeça a atriz não quis adiar a nossa entrevista e quando entrou na sala pediu-me imensas desculpas pela demora mas que estava preparada para as perguntas!

Juliana Harkavy

Nesta nova temporada como vês a dinâmica entre o grupo?

Eu acredito que a equipa é, acima de qualquer coisa, uma família. E tal como numa família eles vão ter altos e baixos, vai haver separação mas voltam sempre juntos. No fim de contas eles têm-se uns aos outros. Não há assim tantos vigilantes e eles gostam e respeitam-se uns aos outros. Juntos, eles vão encontrar uma maneira.

Nós adoramos ver-te como a Canário Negro mas também como detetive. Gostarias de explorar mais este lado?

Gostaria sim! É um lado muito fixe da Dinah porque mostra a dualidade dela e como ela se apresenta como chefe na força policial assim como vigilante, e eu gosto dessa dualidade na personalidade dela. Algo me diz que nesta temporada vamos ver mais do lado policial dela (risos)

Outras atrizes assumiram este papel, quando chegou ás tuas mãos como foi a tua reação? Pensaste que “Okay, isto já foi feito antes. Que posso eu trazer de novo para esta personagem?”.

Isso é interessante porque eu queria fazer justiça ao que já tinha sido feito mas também justiça à banda desenhada e encontrar, de certa forma, um balanço onde ela também não pertence a nenhuma dessas categorias, uma espécie de dança à volta de tudo isso. Eu vi a Katie (Cassidy) e a sua versão da Canário Negro, li a banda desenhada e pensei que o melhor seria deixar tudo isso e fazer a minha própria versão mas com consciência do que já tinha sido feito sem imitar. Estou a fazer sentido? (risos)

Como sentes que está o progresso da Dinah em relação a ser a Canário Negro?

Eu acho que ela está a crescer cada vez mais em se tornar a Canário Negro e a cada temporada ela está mais próxima de se tornar nessa heroína. Não foi nada fácil para ela mas é algo a que ela pode sempre voltar, a luta pela justiça. Quando ela vai em missões sozinha essa é a gratificação dela, a melhor versão dela mesma. Ela vai cada vez ser mais forte como Canário Negro. Uma das coisas que aconteceram naturalmente com esta personagem é que ela não deixa que ninguém mande nela. Por isso é que há um confronto entre ela e o Oliver, para ver quem é o chefe! (risos)

Juliana Harkavy

Esta série tem cenas de ação fantásticas e isso requer uma certa preparação física. Como é que este elenco treina e lida com estas exigências físicas?

(risos) Na verdade nós motivamo-nos uns aos outros. Treinamos juntos porque apenas temos um treinador na série e todos trabalhamos com ele. Às vezes até há pequenas competições entre nós. Quando comecei pensei “Minha nossa isto são imensas horas de treino!”. Mas todos ajudaram. Há quem seja mais intenso nos treinos. A Emily (Rickards) é sem duvida a pessoa mais dedicada nos treinos físicos, ela é incrível e inspiradora!

Se não fosses um herói mas sim um vilão, quem escolherias ser?

JH: (pausa) A primeira coisa que me vem à cabeça são vilãs da Disney! (risos) Tipo a Maleficent! Seria fantástico! A Medusa conta? (mais risos) Nenhuma pertence ao Universo da DC! Oh! Eu adorava fazer o Joker! Acho que uma versão feminina do Joker seria excecional! Eu realmente gosto da estranheza dessa personagem.

Juliana Harkavy

Depois de teres feito já tantos episódios, há algum que te tenha marcado mais?

O episódio quando a Dinah ganha os poderes pela primeira vez, esse episódio é muito especial. Mas também há o episódio onde ela aparece com o fato pela primeira vez! Acho que esses dois são sem dúvida as memórias mais marcantes, talvez porque senti que fosse algo real.

Uma das coisas que me intriga é a diferença entre alguém que escolhe ser um vigilante, treina ou constrói tecnologia, e alguém que simplesmente tem poderes sem qualquer escolha. Quando pegaste neste papel, pensaste nesta situação e como isso poderia afetar a Dinah?

Wow isso… Eu nunca pensei nessa situação. Mas teria mudado a minha forma de ver esta personagem. Se escolheres ter habilidades então fizeste essa escolha mas se ter habilidades não foi uma escolha então eu acho que tens obrigação de usar essas habilidades para fazeres algo bom e eu acho que é assim que a Dinah vê as coisas. Ela sente-se na obrigação de usar os poderes dela porque eles fazem parte dela e não vão desaparecer. Isso foi uma pergunta muito interessante!

Ultima pergunta, num evento que celebra a paixão por aquilo que mais gostamos, o que mais gostas?

Cães!! Eu chegaria tarde para apanhar um avião só para fazer festas a um cão! Já tenho três! E se pudesse teria dezenas mais! (risos) 

Juliana despede-se e volta para a mesa onde termina o domingo a assinar autógrafos aos fãs. Não percas os episódios de Arrow, agora na sua sétima temporada, na Netflix e no AXN.

Juliana Harkavy

 

Maria Lima

Maria Lima

M.J.Lima nasceu no Porto onde estudou Teatro Contemporâneo e Dança. Depois de quase 10 anos no mundo do espetáculo decidiu ir viver para Londres. Em 2015 publicou a sua primeira banda desenhada com a Chiado Editora, Patient EV-136, e está a trabalhar em novos projectos.