More

    MOTELX 2022 está de volta com programação aterradora

    O Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa MOTELX está de volta com mais uma programação aterradora! De 6 a 12 de Setembro, o Cinema São Jorge será a casa da 16ª Edição, mas não será a única –  o Teatro São Luiz, o Convento São Pedro de Alcântara e o Museu de Lisboa Palácio Pimenta serão palco de algumas sessões deste ano.

    Banner MOTELX

    O Evento

    Como sempre, o convívio não faltou – vários fãs de terror reuniram-se para discutir as suas expectativas sobre o festival, com catering ao cargo da rub-a-duckie e bebidas patrocinadas pela Jameson.

    Às 20h30, iniciou-se a conferência de imprensa, onde tivemos oportunidade de ouvir as expectativas para a edição de este ano, bem como a apresentação dos filmes em exibição e a concurso.

    Sessão de Abertura MOTELX

    A Sessão de Abertura iniciou-se com o visionamento do spot publicitário de 2022 e uma explicação da conceção artística do mesmo, com o propósito de todos os artistas e marcas que trabalharam para a identidade visual desta edição.

     

    Exibições e Estreias

    A estreia nacional de “Final Cut” (França, EUA, Japão, 2022), do realizador Michel Hazanavicius, é uma das mais esperadas do festival. Em vez dos típicos remakes americanos, temos um adaptação francesa de “One Cut of Dead” (Japão, 2017). “Holy Spider”, de Ali Abbasi (França, Alemanha, Suécia, Dinamarca, 2022), “Huesera”, de Michelle Garza Cervera (México, Peru, 2022) ou “Wolfskin”, de Jacques Molitor (Luxemburgo, 2022) são algumas das obras aterradoras provenientes de todos os cantos do mundo, que poderemos ver em Setembro.

    Longas Metragens MOTELX

    Longas-metragens nacionais juntam-se à seleção deste ano, “Criança Lobo” (2022), de Frederico Serra (que terá a sua estreia mundial no MOTELX) e também “Os Demónios do Meu Avô” (2022), de Nuno Beato – a primeira longa-metragem de animação stop motion feita em Portugal (já apresentada no festival MONSTRA 2022).

    Ver também: 21ª MONSTRA | Fomos à Cerimónia de Abertura do Festival de Animação de Lisboa

    Teremos também um novo projeto – FILMar – em parceira com a Cinemateca Portuguesa e com o fundo europeu EEA Grants, que pretende abordar o tema “Terror e Mar”. “A Praga” (Brasil, 2021) de José Mojica Marins (1936-2020) surge com uma nova versão restaurada, pois a obra filmada em Super 8 esteve várias décadas desaparecida e só recentemente foi encontrada. Também “A Última Praga de Mojica” (Brasil, 2021), que fala sobre o resgate deste filme inédito, terá direito a uma sessão especial.

    As Competições deste ano

    Pela primeira vez, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa é a patrocinadora do MOTELX, contribuindo para o maior prémio monetário atribuído, sendo o mesmo renomeado para “Prémio SCML MOTELX Melhor Curta Portuguesa”.

    Prémio SCML Melhor Curta Metragem Portuguesa

    Como a mensagem “Apoiar a cultura não nos assusta”, existe uma clara pretensão continuar a apoiar o terror português, pois muitos dos eventos desta edição terão lugar em edifícios pertencentes à Santa Casa. Estarão a concurso 12 filmes, tais como “Quando a Terra Sangra” (2022), de João Morgado ou “Cemitério Vermelho” (2022), de Francisco Lacerda.

    Similarmente aos anos anteriores, a Competição de microCURTAS está de volta! A organização do MOTELX ainda está a aceitar candidaturas, por isso podes submeter a tua curta-metragem de dois minutos, realizada em exclusivo com dispositivos móveis (tablet, telemóvel ou webcam), até dia 1 de Agosto.

    Estreia Literária no Festival MOTELX

    Uma das grandes novidades deste ano, será o lançamento do livro “O Quarto Perdido do MOTELX – Os Filmes do Terror Português (1911-2006)”. Uma obra inédita, resultado de uma investigação feita por vários académicos ao longo de mais de uma década. Em virtude de mostrar a evolução do terror português pré-festival, será um colecionável a não perder.

    Lançamento Livro O Quarto Pedido

    Três grandes obras do cinema lusitano constarão no livro – “O Convento” (1995), de Manoel de Oliveira, “O Fascínio” (2003), de José Fonseca e Costa, e “Coisa Ruim” (2006), de Tiago Guedes e Frederico Serra. O denominador comum entre elas é apenas um – Paulo Branco. Com estes três trabalhos é reconhecido como o maior produtor de Terror em Portugal e também ele marcará presença em Setembro, para falar sobre a sua experiência com este género fantástico.

    O festival MOTELX chega ao Teatro São Luiz

    Um dos destaques desta edição é o centenário da película “Os Crimes de Diogo Alves” (1911), aquele que se estima ser o primeiro filme (mudo) de terror lusitano. A Casa Bernardo Sasseti é parceira na exibição desta curta-metragem (por ser um dos filmes favoritos do compositor), que terá lugar no Teatro São Luiz. Mais uma vez, o festival MOTELX prova que as artes que complementam o cinema têm igual importância, pois o filme será acompanhado com música ao vivo pela Escola Superior de Música de Lisboa.

    O Pré-Festival

    Cartaz Warm-UP MOTELX

    De dia 1 a 3 de Setembro, o Warm-Up MOTELX SCML irá abrir o apetite com o melhor terror. No Convento São Pedro de Alcântara, teremos a comemoração do centenário de “Nosferatu” (F.W. Murnau, 1922), com uma experiência totalmente imersiva. O imaginário de Taika Waititi e Jemaine Clement  acontecerá no Largo Trindade Coelho, com um visionamento ao ar livre de “What We Do in the Shadows” (2014). Por fim, a Orquestra Metropolitana de Lisboa irá dar musicalidade à projeção de “O Fauno das Montanhas” (Portugal, 1926) no Museu de Lisboa – Palácio Pimenta.

    Mais uma vez, Cinema Planet estará à vossa espera no festival MOTELX!

    Ver também: MotelX 2021 mais saudável que nunca

    Mara Jorge
    Mara Jorge
    Nerd desde 1990. Nos intervalos entre a ver séries e ler Stephen King, trabalho em Marketing numa empresa de Tecnologia.

    Últimos Artigos

    spot_img

    Artigos Relacionados