“E Agora Invadimos o Quê?”, em parte gravado em Portugal, estreia esta semana. O Cinema Pla’net percorre os melhores documentários de Michael Moore.

5. Capitalismo: Uma História de Amor

Sinopse: Ao mesmo tempo com humor e coragem, Capitalism: A Love Story explora uma pergunta: “Qual o preço que a América tem de pagar pelo seu amor pelo capitalismo?” Há alguns anos esse amor parecia inocente. Hoje, no entanto, o Sonho Americano parece mais um pesadelo, quando as pessoas têm de pagar com os seus empregos, a suas casas e as suas poupanças. Moore leva-nos até às casas de gente normal, cujas vidas ficaram viradas do avesso, e vai à procura de explicações em Washington e outros locais. O que descobrimos tem os sintomas tão familiares de uma história de amor que deu para o torto: mentiras, abuso, traição…e 14,000 empregos perdidos todos os dias. Capitalism: A Love Story é não a derradeira tentativa de Michael Moore para responder à pergunta que tem andado a fazer ao longo da sua tão ilustre como controversa carreira: Quem somos nós e porque razão nos comportamos assim?

Principais Prémios de Michael Moore: Nomeado ao Leão de Ouro e Vencedor do Open Prize e Little Golden Lion do Festival de Veneza ; Nomeado ao WGA de Melhor Documentário ; 2º Lugar da Escolha do Público do Festival de Toronto ; Nomeado ao Image Award de Melhor Documentário ; Nomeado a Melhor Documentário nos Critics Choice Awards

4. Roger e Eu

Sinopse: Michael Moore persegue Roger Flint, dirigente da General Motors, para confrontá-lo com os efeitos que os despedimentos massivos na reestruturação da sua empresa tiveram na cidade de Flint, no Michigan.

Principais Prémios de Michael Moore: Vencedor da Menção Honrosa do Festival de Berlim ; Vencedor do Prémio de Melhor Documentário do National Board of Review ; Vencedor da Escolha do Público do Festival de Toronto ; Vencedor do Eddie de Melhor Documentário ; Vencedor do Prémio do Público do Festival de Vancouver

3. Sicko

Sinopse: Michael Moore pergunta aos companheiros Americanos: “O que se passa connosco?”. Moore procura respostas no Canadá, Inglaterra e França, onde todos os cidadãos têm cuidados médicos gratuitos. Moore procura mostrar que o sistema de saúde americano está em último lugar, entre os países mais desenvolvidos, apesar de ter um custo por pessoa mais elevado que qualquer outro sistema de saúde no mundo. Finalmente, Moore reúne um grupo de heróis de salvamento do ‘11 de Setembro’ que sofrem de doenças debilitantes, incapazes de receber ajuda no seu país e leva-os para o mais inesperado lugar… onde recebem o tratamento adequado, indisponível na sua e mais rica nação da terra.

Principais Prémios de Michael Moore: Nomeado ao Óscar de Melhor Documentário ; Vencedor do PGA de Melhor Documentário ; Vencedor do Satellite Award de Melhor Documentário ; Vencedor do Prémio de Melhor Documentário dos Critics Choice Award ; Vencedor do Gold Derby de Melhor Documentário ; Vencedor do Gotham Award de Melhor Documentário ; Nomeado ao Image Award de Melhor Documentário ; Vencedor do Eddie de Melhor Documentário ; Nomeado ao WGA de Melhor Documentário

2. Fahrenheitt 9/11

Sinopse: Michael Moore aponta contra George W. Bush, nem mais nem menos que o Presidente dos Estados Unidos. Com o seu humor característico, Moore põe a nu as ligações entre a família Bush e a família Bin Laden e examina a actuação da administração do Presidente americano na sequência do trágico 11 de Setembro, que abalou o mundo.

Principais Prémios de Michael Moore: Vencedor da Palma de Ouro e do Prémio FIPRESCI do Festival de Cannes ; Nomeado ao César de Melhor Documentário ; Nomeado ao European Film Award de Melhor Documentário ; Nomeado ao British Independent Film Award de Melhor Documentário ; Nomeado ao DGA de Melhor Realizador ; Vencedor do Gold Derby de Melhor Documentário ; Nomeado ao Gotham Award de Melhor Documentário ; Nomeado ao Image Award de Melhor Documentário ; Vencedor do Prémio de Liberdade de Expressão do National Board of Review

1. Bowling for Columbine

Sinopse: «Bowling for Columbine» é um inquérito, devastador e cáustico, sobre o estado da nação, a cultura do medo e a psicose das armas nos Estados Unidos. Porque é que morrem cerca de onze mil pessoas por ano no país por causa de armas de fogo é o mote deste documentário, construído a partir da tragédia do liceu de Columbine, em que dois adolescentes massacraram a tiro treze pessoas e depois se suicidaram. Não é, no entanto, um documentário sobre o controlo de armas, mas sim um filme que se interroga porque é que é assim na América e porque é que o medo se instalou na alma dos americanos. Moore pergunta-se como é que no Canadá, a comercialização de armas também é livre, e existem menos crimes com armas de fogo. Mas não cai na facilidade e no simplismo redutor de atribuir culpas a jogos de computador ou grupos de música, porque essa é uma justificação tão válida, como atribuir a tragédia de Columbine ao bowling, que os dois adolescentes jogaram antes de cometerem o massacre.

Principais Prémios de Michael Moore: Vencedor do Óscar de Melhor Documentário ; Nomeado à Palma de Ouro e Vencedor do Prémio Especial 55 Anos do Festival de Cannes ; Vencedor do César de Melhor Documentário ; Vencedor do Independent Spirit Award de Melhor Documentário ; Vencedor do Prémio de Melhor Documentário do National Board of Review ; Vencedor do WGA de Melhor Documentário ; Vencedor do Eddie de Melhor Documentário ; Vencedor do Critics Choice Award de Melhor Documentário ; Nomeado ao Prémio Chlotrudis de Melhor Documentário