CinemaDestaquesFestivais de cinemaRaindance Film Festival 2019Raindance Film Festival ’19 | A minha viagem pelo cinema independente

Quando se fala em cinema independente fala-se em Raindance. No ano passado tive a minha primeira experiência neste festival e tive que voltar para vos trazer os filmes que causaram mais impacto assim como entrevistas com alguns dos talentos presentes. Desde Tom Felton (Harry Potter, The Flash) ao modelo transgênero Krow (Krow's TRANSformantion) a passadeira vermelha foi sem dúvida divertida e até com algumas lágrimas.

Quando se fala em cinema independente fala-se em Raindance Film Festival!

No ano passado tive a minha primeira experiência no Raindance Film Festival 2019 e tive que voltar para vos trazer os filmes que causaram mais impacto, assim como, entrevistas com alguns dos talentos presentes. Desde Tom Felton (Harry Potter, The Flash) ao modelo transgênero Krow (Krow’s TRANSformantion) a passadeira vermelha foi sem dúvida divertida e até emocionante.

Chegamos cedo e ainda não havia quase ninguém, primeiramente cumprimentei a equipa de pr, que era a mesma do ano passado, e ainda trocamos impressões sobre o que queríamos ver neste ano. Entretanto chegou o director do festival, Elliot Grove, sempre com uma boa disposição contagiante e pronto para nos dizer que: “este ano o festival promete!”

Ver também:O BEAST é um festival de cinema, não é um festival de nicho

Convidados começam a chegar e nós estamos preparadas. Falamos com Tom Felton que se encontrava , extremamente entusiasmado por estar no festival a celebrar o cinema independente:

Sinto-me honrado por fazer parte deste festival e qualquer desculpa ou razão para trazer o cinema independente é sempre boa! Eu tenho um pequeno cinema perto de minha casa que apenas projecta filmes de baixo orçamento e isso dá-nos a oportunidade de ver algo diferente.

O festival arrancou  com o documentário “Krow’s TRANSformation” que segue o processo do modelo masculino Krow na sua transição e o que isso implica na vida de um jovem transgênero. Nós tivemos a oportunidade de falar com a realizadora e com Krow (que será publicado em breve) que se sentiram extremamente orgulhosos por terem o seu filme a abrir este festival. Em breve irão descobrir o porquê de  Krow  ter revelado algumas lágrimas durante a nossa entrevista.

Celebramos ainda, curtas-metragens como “A Million Eyes” e outras de animação que mostraram uma seleção bastante abrangente. Uma das curtas que chamou a nossa atenção foi a “Girl In The Hallway” de Valerie Barnhart, feito em 2D e baseado numa historia verídica sobre o desaparecimento de uma menina.

Foi assim, mais um ano de cinema independente e aguardamos com bastante entusiasmo o que nos trará no ano seguinte. Até lá fica aqui a lista dos vencedores e que são certamente, boas sugestões para uma tarde, ou noite, de cinema diferente.

A lista dos vencedores desta edição :
  • Melhor filme : The Planters (Dir. Alexandra Kotcheff, Hannah Leder)
  • O Melhor filme U.K. : On The President’s Orders (Dir. Olivier Sarbil, James Jones)
  • O Melhor Filme Internacional: By The Name of Tania (Dir. Mary Jimenez, Benedicte Lienard)
  • Melhor Documentário: Who Made You? (Dir. Iiris Härmä)
  • The Discovery Award : Platform (Dir. Sahar Mosayebi)
  • Melhor Realizador : The Waiter (Dir. Steve Krikris)
  • O Melhor Argumento : Erased  (Screenwriter Miha Mazzini)
  • A Melhor Fotografia : The Real Thing: Real Life in Fake Cities (Fotografia por Bastian Esser)
  • A Melhor Performance : The Man Who Surprised Everyone – Evgeniy Tsyganov
  • Spirit Of The Festival Award : Alice  (Dir. Josephine Mackerras)

 

Agradecimentos especiais a Amie Lim (Fotografia/Reviews) 

 

Segue-nos nas redes sociais!