Uma Análise aos Clássicos: “A Vida é Bela”, de Roberto Benigni

Trailer de "A Vida é Bela", um clássico sublime que arrecadou 3 Óscares.

O filme “A Vida é Bela“, de Roberto Benigni, é garantidamente um clássico, com um dos mais intensos e inacreditáveis enredos a que vais assistir.

Se vale a pena? Nem é pergunta que se faça…

Estamos em Itália, nos finais dos anos 30, e Guido Orefice (Roberto Benigni), um homem judeu apaixonado pela vida, encontra a mulher dos seus sonhos, Dora (Nicoletta Braschi). No entanto, Dora, professora numa escola local, está já noiva de um outro homem, mas para Guido ainda há esperança até ao momento do casamento. Ele faz trinta por uma linha para a encontrar e, com o seu charme, acaba por conquistá-la, fazendo com que ela fuja consigo.

Algum tempo depois nasce Giosué (Giogio Cantarini), que nos aparece no ecrã já com 5 anos de idade. Até à altura, tudo corria bem para aquela família que mal notava o cenário de Guerra que os circundava. No entanto, no dia em que Guido fazia os preparativos para a festa de aniversário do seu filho, os alemães levam-no para um campo de concentração e Giosué é levado também. Dora, apesar de não ser judia, exige que a levem com a sua família, o que deixa Guido completamente devastado.

Ver também: Uma Análise aos Clássicos: “Os Condenados de Shawshank”, de Frank Darabont

De forma a proteger o pequeno da verdade, Guido diz ao seu filho que eles estão a fazer uma férias e faz com que a atividade no campo se torne um grande jogo para Giosué, dizendo-lhe que eles tinham que arrecadar 1000 pontos para ganhar um tanque real e assim iriam embora. Desta forma, Guido tem de completar várias “tarefas” para os “moderadores” do jogo irem somando pontos à sua equipa.

Um filme comovente, que nos fala da história de amor de uma família, com alguma comédia à mistura e muito drama, não fosse a época retratada um dos momentos mais negros da história da humanidade.

Uma obra extraordinária que arrecadou 3 Óscares, dos 8 para que foi indicado. Roberto Benigni ficou tão entusiasmado quando anunciaram que “A Vida é Bela” tinha ganho o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, que se levantou em cima da sua cadeira, e andou por cima de mais algumas que estavam à sua frente antes de ir buscar a estatueta ao palco.