Mike Richardson, o fundador da Dark Horse Comics e criador de “A Máscara”, quer concretizar um reboot do filme, mas com uma estrela feminina para personagem central.

A Máscara

O filme foi um grande sucesso dos anos 90 e viu em Jim Carrey o seu grande trunfo. No verão de 1994 – estão passados agora 25 anos da estreia -, o filme angariou em receitas de bilheteira mais de 351 milhões de dólares para um orçamento curto de 23 milhões.

Publicidade

Em “A Máscara”, Jim Carrey consolidou a sua carreira e foi catapultado para o estrelado. Carrey era Stanley Ipkiss, o desafortunado funcionário de um banco que se transforma depois de colocar uma bizarra máscara.

Carrey transforma-se num autêntico cartoon e teve oportunidade de mostrar os seus talentos para a comédia e criar um dos mais icónicos personagens do cinema, para além de um dos grande sucessos daquela década.

O sucesso do filme permitiu a sua expansão para uma série animada e um videojogo para a Super Nintendo. Já a sequela em cinema não teve muito sucesso e, em 2005, “A Máscara 2 – A Nova Geração” não tinha Carrey e em vez dele Jamie Kennedy.

A Máscara

Mike Richardson considera que por altura do aniversário dos 25 anos do filme, é uma boa altura para reviver a saga, especificamente na sua vertente de cinema. Richardson também tem uma ideia de quem deverá suceder a Carrey.

Richardson não está ainda preparado para revelar nomes, mas admitiu que pretende identificar uma atriz cómica com muito boa presença física para liderar o filme, segundo admitiu em entrevista à revista Forbes.

Para já, o foco mantém-se no lançamento de uma nova série animada e promete, neste âmbito, aproximar-se mais do tom obscuro da banda desenhada original, explorando temas como o poder absoluto e como esse poder pode corromper qualquer pessoa e levar cidadãos normais a ator de vingança e crimes.

Vê também: “The Sandman” vai ser adaptado a série na Netflix

Esta tonalidade mais obscura não esteve tão presente no filme de 1994 e promete agora retomar a visão de um verdadeiro anti-herói corrompido pelo poder da máscara. Não se sabe ainda se esta linha de pensamento se aplicará também ao filme, todavia, já que não foram adiantados pormenores.