No aniversário de Paul Walker, falecido num acidente em 2013, relembramos os melhores papéis do ator.

Com uma carreira promissora que prometia ir muito além de “Velocidade Furiosa”, destacamos alguns filmes do eterno californiano.

Paul Walker faria este ano 47 anos. Destacamos neste artigo 5 bons desempenhos do ator, que será para sempre lembrado pela saga “Velocidade Furiosa”, mas que também nos deixou alguns bons desempenhos noutros filmes.

Menções Honrosas: “As Bandeiras dos Nossos Pais”, de Clint Eastwood ; “Pleasantville – A Viagem ao Passado”, de Gary Ross ; “Varsity Blues – A Balada dos Campeões”, de Brian Robbins ; “Um Milagre de Natal”, de Chazz Palminteri.

Em primeiro lugar, o destaque vai claramente para a saga que marcou a sua carreira. Em “Velocidade Furiosa”, desde o início que os espectadores seguiam a viagem do polícia infiltrado Brian O’Conner, numa espécia de “Point Break” para amantes de tunning.

O objetivo era identificar e prender o autor de vários roubos e membro influente do movimento. No entanto, o seu envolvimento é tal que acaba a namorar com a irmã de um dos líderes criminosos e a emprestar o seu próprio carro para que alguns corredores fujam de outros polícias.

Para além do primeiro filme, é de destacar “Velocidade Furiosa 5”, um dos melhores filmes de ação dos últimos anos e que funciona muito bem fora da saga. Mas também “Velocidade Furiosa 7”, impactado pela morte do ator a meio das filmagens e que soube transformar ação desenfreada numa viagem com um fim emocional.

Na madrugada de 29 de agosto de 2005, Nolan Hayes chega ao hospital de New Orleans com a mulher Abigail grávida e em trabalho de parto. No entanto, aquele que devia ser um dos dias mais felizes da sua vida fica rapidamente fora de controlo com o trágico nascimento prematuro da sua filha e com o furacão Katrina a devastar o hospital, obrigando à sua evacuação.

Nolan e a sua filha prematura, ligada a um ventilador, aguardam pela chegada da ambulância para a transferência para outro hospital, mas o avanço das inundações e uma falha de energia acabam por isolá-los do resto do mundo. Quando ninguém regressa para o ajudar, Nolan faz de tudo manter a filha viva…

O desempenho mais puro e emocional de Paul Walker, que em Portugal estreou nos cinemas apenas 1 mês após a morte do ator, contribuindo para um impacto ainda mais forte.

Neste filme de ação e crime de Wayne Kramer, realizador de “Má Sorte” e “Para Lá da Fronteira”, Paul Walker é Joey Gazelle, um pouco cotado membro da máfia, encarregue de fazer desaparecer as armas utilizadas nas operações da organização.

Só que em vez de as deitar ao rio, Joey, guarda as armas na cave de sua casa. Certo dia, o seu filho de 10 anos e o amigo Oleg, descobrem o esconderijo. Oleg decide roubar uma das armas (utilizada numa tentativa de homicídio de um polícia), para matar o padrasto que o tratava mal.

Quando descobre que o padrasto assassinado era sobrinho de um dos padrinhos da máfia local, todos os caminhos vão dar a Joey…

Férias de Verão. Lewis Thomas no final do seu primeiro ano de universidade, decide atravessar o país para ir ao encontro da rapariga dos seus sonhos. Os seus planos sofrem um revés quando decide ir recolher o irmão à saída da penitenciária, que tinha sido preso por embriaguez.

O irmão alicia-o a pregar uma partida a um camionista através do rádio. Pela reacção violenta deste é que ambos não esperavam… Com Paul Walker, Steve Zahn e Leelee Sobieski, o filme tem realização de John Dahl (“House of Cards”, “Ray Donovan”, “Yellowstone”…).

Por fim, aqui está um filme da Disney que é mais do que uma aventura para os mais pequenos. O realizador Frank Marshall já tinha abordado um tema semelhante na história verídica de “Estamos Vivos” e uns anos depois em “Congo”.

A história de três membros de uma expedição científica na Antárctida: Jerry Shepard (Paul Walker), o seu melhor amigo, Cooper (Jason Biggs) e um grosseiro geólogo americano (Bruce Greenwood). Por consequência de um acidente inesperado, são forçados a deixar para trás os seus adorados cães de trenó.

Assim que a missão de resgate é cancelada por uma tempestade, Jerry não desiste e faz de tudo para tentar chegar aos cães, durante os seis meses do rigoroso Inverno Antárctico.