70 anos após o final da II Guerra Mundial chega aos cinemas o primeiro filme alemão a retratar a vida de Anne Frank.

anne_frank_header_mobile

Em 1959, “O Diário de Anne Frank”, uma produção norte-americana da 20th Century Fox, recebeu três Óscares e outras 5 nomeações (incluindo Melhor Filme e Melhor Realizador). Mais de 55 anos após a interpretação premiada de Shelley Winters, a Alemanha transpõe pela primeira vez para o grande-ecrã um dos relatos mais fortes da II Guerra Mundial: a história de Anne Frank.

“Das Tagebuch der Anne Frank” terá a sua estreia mundial no Festival de Berlim, com realização de Hans Steinbichler e argumento de Fred Breinersdorfer (argumentista de grandes filmes do mesmo período como “Sophie Scholl – Os Últimos Dias” e “13 Minutos”). Anne Frank será intepretada por Lea van Acken, de 16 anos, que se estreou no aclamado “Estações da Cruz”. Os pais da jovem serão interpretados por Martina Gedeck (“As Vidas dos Outros”) e Ulrich Noethen (“A Queda: Hitler e o Fim do Terceiro Reich”).