Em pleno London Film Festival, em Outubro do ano passado, eu estive uns minutos com a actriz Maggie Gyllenhaal que veio ao festival apresentar o seu mais recente trabalho “The Kindergarten Teacher”, que em Portugal é distribuído pela Alambique.

Esta atriz, que já teve uma nomeação para os Óscares, conta com um leque de trabalhos de qualidade e interpretações que nos ficaram na memória. Quem poderá esquecer a sua Lee Holloway em “A Secretária”? Ou a sua participação no segundo filme da trilogia “Cavaleiro das Trevas”, onde interpreta Rachel Dawes? Neste novo filme a atriz interpreta uma professora que leva a sua dedicação um pouco longe demais…

Maggie Gyllenhaal

Maggie Gyllenhaal chega para a nossa entrevista, na sala que o BFI preparou para os convidados do festival. Avisam-me que apenas tenho duas perguntas porque o tempo dela é extremamente limitado. A atriz recebe-me com um enorme sorriso:

Ainda estou a acordar! Em Nova Iorque são umas três da manhã (risos)

O seu mais recente filme retrata uma professora que leva aos extremos a ideia do cuidado e proteção do talento. Uma das frases dela é “Talento é tão frágil”. O que faria de maneira a proteger e desenvolver talento?

(pausa) Eu acho que não devemos usar a minha personagem neste filme como um bom exemplo. Ela é extremamente confusa no período de tempo em que o filme se passa. Mas eu concordo contigo, é uma frase bastante interessante, porém eu não concordo com o que ela diz. Eu acho que talento é algo muito poderoso. E pode levar com muito conflito e até, de facto, a oposição ao talento ainda o torna mais forte! Acho que alguém precisa de espaço para a sua mente poder se expressar e assim fazer algo que venha mesmo do interior. E eu acho que tudo o que vem de um espaço interior acaba por ser algo que causa mais impacto nas pessoas.

Maggie Gyllenhaal

De tantas personagens que fez ao longo da sua carreira, qual foi aquela que mais ficou consigo?

Há algumas que ficaram comigo, sem duvida! Houve experiências onde pude expressar algo sobre mim própria ou algo muito importante como quando fiz “A Secretária” ou “Sherrybaby”. “Crazy Heart” foi uma colaboração muito interessante com o Jeff Bridges e o Scott Cooper. “An Honourable Woman” causou um grande impacto em mim, talvez até tenha sido a que tenha ficado mais comigo. A Candy (The Deuce) vou voltar a interpreta-la em Fevereiro. Essa está cá atrás na cabeça à espera de voltar. E claro que eu amo a Lisa (A Educadora de Infância), ela é a mais recente e a que mais expressa o que tenho em mente neste momento.

Maggie Gyllenhaal

Despedimo-nos e Maggie Gyllenhaal já estava a ser levada para o seu Q&A que iria acontecer naquele momento. Foram umas breves palavras e fiquei com vontade de um dia poder ter uma entrevista mais completa pois esta actriz demonstra ser bastante interessante e com muito mais para dar. Agora que também é produtora, este mais recente filme e também a serie “The Deuce”, será que um dia a iremos ver na cadeira de realização?

“A Educadora de Infância” estreou em Portugal a 3 de Janeiro e estará disponível em DVD já no mês de Março.

Maggie Gyllenhaal