Space Force é a mais recente série da Netflix de comédia. Juntamente com o produtor do “The OfficeGreg Daniels, Steve Carell tenta mais uma vez carregar a imagem de líder com demasiadas ideias loucas… Mas desta vez sem muito sucesso.

Space Force prometia ser uma grande série já desde o teaser. Com um elenco de luxo, é uma pena que esta promessa não fosse cumprida. Steve Carell e Greg Daniels esforçaram-se para dar alguma comédia à série, mas a maioria das piadas não levanta vôo.

Carell é Mark Naird, um general forçosamente puxado da sua posição na Força Aérea e colocado na liderança da Space Force – um novo ramo militar com o objectivo de levar o Homem ao espaço. Ao lado deste, está Dr. Adrian Mallory, brilhantemente interpretado por John Malkovich. Mallory e Naird têm uma relação com muito atrito mas é o melhor que esta série tem para oferecer. Mallory está aqui para ser a voz da razão de Naird que, tal como um Michael Scott, tem muitas ideias criativas para a sua equipa. Esta dupla dá algum carisma à série e de vez em quando, até faz rir.

Conseguimos aperceber-nos logo do descontentamento de Naird ao ser colocado nesta posição de liderança. Como se não bastasse, o caos também chega à sua vida pessoa, quando a sua mulher Maggie (Lisa Kudrow) é presa e a sua filha Erin (Diana Silvers) lida com os problemas da adolescência. Foi uma pena Kudrow só ter aparecido em 5 episódios, parece que a sua prisão foi apenas uma desculpa fácil para ela não aparecer mais. Muito potencial deitado fora logo no início. E Erin foi uma personagem demasiado fraca para carregar a história secundária, chegando mesmo a ser aborrecido. Nós percebemos a ideia, é uma adolescente cujos pais não lhe dão a devida atenção, mas explorar constantemente isto foi desnecessário.

Ben Schwartz é F. Tony, o relações públicas de Naird. Schwartz foi ao baú buscar o seu Jean-Ralphio de Parks & Recreation para pôr uma pitada de excentricidade nesta personagem. Gostei da performance no entanto, F. Tony não aparece tanto quanto eu gostaria. Espero que seja mais utilizado na 2ª temporada.

Naird vai ter muitos objectivos para cumprir com a sua Space Force e pelo meio surgem muitas burocracias e complicações – é bem claro que o maior inimigo do governo é o próprio governo. A forma como Naird resolve os assuntos, com esquemas loucos (que Mallory tem que pôr travão), não são tão divertidos quanto seria de esperar. Não queremos ver um episódio de uma série de comédia de 30 minutos onde só dá vontade de rir 2 ou 3 vezes. Algumas piadas simplesmente caem completamente por terra.

Então e haverá espaço para um romance nesta Space Force? Claro que sim. O piloto de Naird, Angela (Tawny Newsome) e um dos seus cientistas Chen (Jimmy O. Yang) formam aqui uma relação muito especial mas, por algum motivo, não me pareceu nada credível. Suspeito que a relação vá continuar enquanto a Space Force for renovada, portanto esperamos ver um pouco mais de química entre estes dois atores.

Apesar da consistência da história, Space Force ainda não decidiu que tipo de comédia (ou dramédia) quer ser. Se uma sátira política, comédia física, surreal ou só uma paródia. Há alguns momentos genuinamente divertidos, mas esta mistura de personagens não entrega uma série que fica na memória.